X

Quem são os 8 jovens tenistas a estrelarem o Next Gen Finals 2021

Terça, 09 de novembro 2021 às 10:05:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Mesmo iniciando sua disputa sem contar com os dois principais tenistas sub 21 da temporada, o ATP Next Gen Finals de Milão, na Itália, chega à sua 4ª edição experimentando inovações nas regras do esporte e tendo pela primeira vez tenistas sul-americanos.



O Next Gen Finals não foi realizado em 2020 em razão da pandemia da COVID-19 e não terá seu vigente campeão, o italiano Jannik Sinner, defendendo o título. Sinner, de 20 anos, é o atual 10º tenista do ranking de simples e foi o melhor tenista sub 21 da temporada conquistando quatro títulos, sendo o mais importante deles o ATP 500 de Washington, nos Estados Unidos. Até o momento, Sinner soma 45 vitórias e nesta semana optou por disputar o ATP 250 de Estocolmo, na Suécia. Seu objetivo era a classificação para o ATP Finals com os demais tenistas profissionais, porém, com as classificações do norueguês Casper Ruud e do polonês Hubert Hurkacz, Sinner será reserva no torneio em Turim.

A reserva em Turim também será o final de temporada do canadense Felix Auger Aliassime, 11º da ATP e segundo melhor da Next Gen no ao. O canadense de 21 anos segue sem conquistar um título em nível ATP e neste ano foi vice em Stuttgart e no ATP de Melbourne.

O Next Gen Finals tem formato de disputa em grupos de quatro atletas, nomeados de Grupo A e B. Destes grupos, apenas os dois melhores se classificam às semifinais. Os critérios de classificação no grupo são número de vitórias, seguida de número de sets vencidos e o confronto direto em caso de empate entre dois jogadores ou mais.

A premiação financeira é outra atração a parte para os tenistas e soma US$ 1,3 milhões, cerca R$ 7,1 milhões. Cada alternate da disputa (reserva) recebe US$ 12 mil (R$ 66 mil) por ir à Milão e pode ir somando valores de premiação caso jogue em razão de desistência de algum tenista ainda na fase de grupos. Já os jogadores que estão garantidos nos grupos recebem US$ 80 mil (R$ 441 mil) por participarem. Confira a lista completa com a premiação financeira.

O formato dos jogos segue o mesmo desde a edição 2017. São partidas em melhores de cinco sets, porém cada set acaba ao chegar em 4 games. Em caso de empate em 4/4 é jogado ali um tiebreak para definir o vencedor da parcial. Desde antes da pandemia, no Next Gen Finals os tenistas são responsáveis por suas toalhas. Há ainda o relógio que registra os 15 segundos de prazo para realização de saque, análise de vídeo em desafios de marcação, presença dos treinadores que podem orientar seus jogadores sempre que acionados e não há registro falado dos pontos por parte do árbitro. Há ainda regra de uso de um único atendimento médico por jogador durante uma partida e pausas programadas com idas ao banheiro. As demais regras do esporte, como 15 segundos entre os saques, são aplicadas.

Quem joga

A chave de disputa do Next Gen Finals conta pela primeira vez com tenistas da América do Sul, são dois argentinos: Juan Manuel Cerundolo, 91º da ATP de 19 anos; e Sebastian Baez, 111º de 20 anos. Os compatriotas estão em grupos distintos, tal como seus caminhos até o Finals foram diferentes.

Aos 18 anos, Carlos Alcaraz, 32º da ATP, é o primeiro classificado ao torneio dentre os confirmados. Na temporada 2021, o pupilo do ex-número 1 do mundo Juan Carlos Ferrero somou 27 vitórias e 17 derrotas, conquistou seu primeiro título em nível ATP, no torneio croata de Umag e venceu três tenistas do top 10 em 6 confrontos. A vitória mais importante da carreira do espanhol foi a batalha diante do grego Stefanos Tsitsipas, então 3º mundo, pela terceira rodada do US Open. No ano, Alcaraz ainda foi campeão do Challenger de Oeiras, em Portugal.

Aos 21 anos, o americano Sebastian Korda, 39º da ATP, foi o segundo garantido na disputa. Filho do ex-top 2 Petr Korda e da ex-top 25 Regina Rajchrtova, Sebastian conquistou 27 vitórias e 17 derrotas na temporada e ainda como Alcaraz ergueu seu 1º ATP da carreira em Parma, na Itália, e venceu na França o Challenger de Quimper.

Aos 19 anos, o italiano Lorenzo Musetti, 58º, foi o terceiro garantido no torneio. A temporada foi consistente, tendo alcançado 20 vitórias e 20 derrotas o circuito ATP. No ano, Musetti foi vice-campeão nos Challengers de Antalya e Biella. No circuito ATP, sua principal campanha foi semifinal no ATP 500 de Acapulco.

Outro americano da chave é Brandon Nakashima, de 20 anos e 63º da ATP, que conquistou 15 vitórias e 10 derrotas no circuito. Nakashima foi vice-campeões nos ATPs de Los Cabos e Atlanta e foi campeão do Challenger de Brest e Quimper 2.

Aos 19 anos, Juan Manuel Cerudolo foi o primeiro sul-americano a se classificar ao Next Gen Finals. O tenista surgiu como surpresa e ergueu em casa, no ATP de Córdoba, saindo do quali. Cerundolo foi campeão dos Challengers de Banja Luka, Como e Roma. Este será seu primeiro torneio no piso Rápido.

Sebastian Baez, de 20 anos,  foi o penúltimo classificado e apesar de ter jogado apenas dois jogos (com uma vitória e uma derrota) em nível ATP, Baez teve uma grande temporada em nível Challenger, com títulos em Buenos Aires, Santiago (1, 2 e 3), Zagreb e Concepcion.

Penúltimo garantido em Milão, o francês Hugo Gaston, 67º da ATP, de 21 anos, se garantiu após campanha de quartas de final do Masters de Paris, na semana passada. No ano, no circuito ATP, são 9 vitórias e seis derrotas. Gaston foi vice-campeão do ATP 250 de Gstaad e acumulou no ano quatro vice-campeonatos de torneios Challenger, são eles: Roma 1, Iasi, Tulln e Barcelona.

Último classificado, o dinamarquês Holger Rune é o mais novo da disputa. Aos 18 anos, o dinamarquês venceu seis jogos em nível ATP e acumulou 11 derrotas. Com os títulos dos Challengers de Bergamo, Verona, San Marino e Biella.

 

banner
banner