X

Djere dedica título aos pais e quer inspirar com sua história de vida

Domingo, 24 de fevereiro 2019 às 20:08:06 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Marden Diller - Em mais um emocionante momento do Rio Open 2019, o sérvio Laslo Djere, campeão do torneio diante do canadense Felix Auger-Aliassime, dedicou a conquista na noite deste domingo aos seus pais falecidos de câncer.



"Perdi minha mãe há sete anos. Quero dedicar esse troféu a ela. E também a meu pai. Perdi ele há dois meses. Eles tiveram o maior impacto em mim. Graças a eles, eu sou quem sou hoje. Espero que eles estejam me assistindo hoje", declarou o sérvio ainda em quadra. 

“Foi uma semana dos sonhos. Atingi muitas coisas aqui. Estou muito feliz, empolgado e emocionado agora. Muito feliz  que tenha consegui me puxar neste jogo porque foi duro mental e fisicamente".

Mais tarde em coletiva de imprensa o tenista continuou e afirmou querer inspirar as pessoas: "Muito feliz e empolgado, estava sonhando com esses momentos por minha vida toda, não nessas circunstâncias, é a vida, segue adiante com o que acontece, queria ter a certeza de dar o meu melhor com o que acontecesse. No momento não conheço muitos tenistas que tenham feito isso, mas quero ser o cara que inspire os outros e mostre que ainda é possível qualquer coisa que aconteça, que possa ser ainda bom mesmo que não esteja bom na vida pessoal, estou ganhando atenção da mídia, sabendo sobre mim, poder contar minha história e legal poder contar e pelo que atingi".

Djere confessou que não esperava sair com o título quando chegou ao torneio ainda mais com a chave onde pegou o favorito Dominic Thiem na primeira rodada: "Quando cheguei aqui não era minha meta vencer, mas quando cheguei treinei bem por dois dias e meu técnico me contou a chave e fiquei desapontado, claro que acreditava que poderia derrotá-lo, mas tentei me dar conta em minha cabeça e dizer a mim mesmo que estava bem nos treinos e poderia ser uma vantagem e um bom momento jogar contra o primeiro cabeça e as coisas foram bem, tentei focar na próxima partida e não olhar muito para frente".

O tenista agora vai pular para o top 40 da ATP e apesar da subida espera se manter humilde: "Não sei muito meu calendário, como será, qual tipo de torneio jogaria, antes estava 90 do mundo então alguns torneios precisaria jogar quali, tinha duas ou mais opções em minha cabeça, não podia muito escolher o torneio que ia jogar, agora estou no top 50, acima, muito feliz, mas espero que seja só o começo, fica humilde, seguir meu trabalho como sempre fiz, serão altos e baixos, mas ficar humilde quando estiver no topo e manter a crença quando estiver por baixo independente do resultado manter o trabalho".

O sérvio também comentou sobre sua personalidade e confessou ser bem introvertido: "Sou muito tímido, introvertido, gosto de ficar perto das pessoas que são importantes para mim, gosto de ter meu tempo livre. Gosto de ficar no meu quarto lendo livro, às vezes quero ficar sozinho. Sou muito trabalhador, dedicado, às vezes saio do trilho, mas tenho as pessoas certas para me trazer de volta, me levantar. Muita pessoa me diz isso, tento melhorar, não é que eu não seja amigável, mas fico mais na minha, é como eu sou".