X

Com vagas para Olimpíada, Pan-Americano ganha importância no tênis

Domingo, 28 de julho 2019 às 12:49:06 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Marden Diller – A cada quatro anos pares o mundo recebe uma grande competição esportiva, seja a Copa do Mundo de Futebol ou os Jogos Olímpicos. No entanto, a cada quatro anos ímpares, as Américas recebem sua grande competição, como acontece agora em 2019.



Os Jogos Pan-Americanos são a própria Olimpíada particular do continente americano. A edição 2019 do torneio terá início nesta segunda-feira, 29 de julho, e contará com a participação de 41 países em 39 modalidades diferentes.

Ao contrário das Olimpíadas, os Jogos Pan-Am são recentes, tendo sua primeira menção sido feita ainda no ano de 1932, durante as Olimpíadas de Los Angeles, quando o Comitê Olímpico Internacional sugeriu que o continente americano tivesse seus próprios jogos.

A primeira edição veio já em 1937, na cidade de Dallas, durante a Greater Texan & Pan-American Exposition, no estado norte-americano do Texas. No entanto, o evento recebeu tão pouca atenção que foi deixado de lado até 1940.

Novamente, o assunto foi pauta de discussão durante o primeiro Congresso Pan-Americano de Esportes, sediado em Buenos Aires em 1940, onde determinou-se uma nova edição o Pan para o ano de 1942, que acabou sendo adiada em função da Segunda Guerra Mundial. Novamente, um prazo foi estabelecido durante as Olimpíadas de Londres em 1948, confirmando Buenos Aires como sede dos primeiros Jogos Pan-Americanos em 1951, considerada oficialmente a primeira edição do evento.

O tênis tem sido parte da competição desde a primeira edição, estando fora apenas da edição de 1971 em Cali, na Colômbia. Apesar de não ter uma grande expressão geral na história do esporte, o Brasil é o quarto maior medalhista de todos os tempos no tênis, 33 conquistas, sendo 14 de ouro, 7 de prata e 12 de bronze. Em primeiro vêm os Estados Unidos, 61 medalhas; em segundo a Argentina, com 39 medalhas, sendo 15 de ouro; e em terceiro vem o México, com 50 medalhas, sendo 14 de ouro.

A primeira medalha do nosso país veio já na edição inaugural dos jogos, nas duplas femininas, pelas mãos de Helena Stark e Silvia Villari, que ficaram com o bronze. A última medalha para o país veio nas mãos de Rogério Dutra Silva, que ficou com a prata em 2011, em Guadalajara. Já a última medalha de ouro do nosso país saiu aqui dentro de casa, no Pan do Rio de Janeiro, em 2007, pelas mãos de Flávio Saretta, em uma partida que teve de ser disputada em quadra coberta em razão das chuvas que não deram trégua ao longo da semana de competições. O Brasil também conquistou medalha de ouro no masculino e no feminino na extinta competição por times na edição de 1991, na cidade de Havana, em Cuba.

Confira a lista de brasileiros medalhistas por edição dos Jogos.

 

Ano Simples Masculino  Simples Feminino Duplas Masculino Duplas Feminino Duplas Mistas
1951       Helena Stark e Silvia Villari - Bronze  
1955       Ingrid Metzner e Maria Esther Bueno - Bronze  
1963 Ronald Barnes - Ouro Maria Esther Bueno - Ouro Ronald Barnes e Carlos Fernandes - Ouro / Thomas Koch e Iarte Adam - Bronze Maria Esther Bueno e Maureen Schwartz - Prata Thomaz Koch e Maria Esther Bueno - Prata
1967 Thomaz Koch - Ouro   Thomaz Koch e José Mandarino - Ouro    
1975   Pat Medrado - Prata José Américo e João Schmidt - Bronze Maria Andrade e Wanda Bustamante - Prata  
1987 Fernando Roese - Ouro Gisele Miró - Ouro     Fernando Roese e Gisele Miró - Bronze
1991 Marcelo Saliola - Bronze Andrea Vieira - Bronze   Andrea Vieira e Cláudia Chabalgoity - Prata William Kyriakos e Claudia Chabalgoity - Prata
1995       Andrea Vieira e Luciana Camargo - Bronze  
1999 Paulo Taicher - Bronze   André Sá e Paulo Taicher - Ouro Joana Cortez e Vanessa Menga - Ouro  
2003 Fernando Meligeni - Ouro     Joana Cortez e Bruna Colósio - Ouro  
2007 Flávio Saretta - Ouro     Joana Cortez e Teliana Pereira - Bronze  
2011 Rogério Dutra Silva - Prata       Ana Clara Duarte e Rogério Dutra Silva - Bronze

 

Em 2019, os jogos de tênis serão disputados no Lawn Tennis Club, na cidade de Lima, no Peru. Um grande complexo de quadras de saibro que receberá as disputas de simples e duplas no masculino e feminino, além das duplas mistas.

Nesta edição, o Brasil será representado por Thiago Wild e João Menezes no masculino e Carol Meligeni no feminino. A paulista Bia Haddad Maia também estava inscrita, mas foi obrigada a desistir de última hora após testar positivo no anti-doping.

No evento masculino, os principais nomes presentes são o chileno Nicolas Jarry e os argentinos Guido Andreozzi e Facundo Bagnis, além do veterano dominicano Victor Estrella Burgos. Já no feminino temos a canadense Rebeca Marino, a paraguaia Veronica Cepede Royg e a norte-americana Caroline Dolehide.

Além das medalhas, os tenistas também brigam por vagas diretas nas Olimpíadas de Tóquio em 2020, já que os Jogos Pan-Americanos valem acesso direto à chave para os medalhistas de ouro e prata das chaves masculina e feminina em simples.