X

Presidente da ITF é acusado de ilegalidades em eleição da entidade

Quinta, 04 de julho 2019 às 11:53:18 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

As polêmicas no mundo do tênis não param de aparecer. Após os problemas no Conselho dos Jogadores da ATP, o alvo de controvérsias agora é o norte-americano David Haggerty, atual presidente da ITF, acusado de utilizar táticas desonestas nas eleições da entidade.



Atualmente, Haggerty disputa com o irlandês Dave Miley, o indiano Anil Khanna e o tcheco Ivo Kaderka o cargo de presidente da ITF (Federação Internacional de Tênis), o qual ocupa desde 2015.

Executivo da ITF há mais de 25 anos, Miley acredita que o recente código de conduta emitido pela ITF para suas eleições presidenciais coloca Haggerty em uma posição de vantagem sobre os outros em busca de sua reeleição.

“O que eu não gosto sobre isso, é que me impede de fazer tudo o que Dave Haggerty fez quatro anos atrás”, disse Miley durante uma reunião em Londres. “Ele emitiu seu manifesto mais cedo que todos, viajou para todos os encontros regionais, e agora ele me impediu de fazer todas essas coisas. Não acho que isso seja justo, mas não serei vítima. Tentaram me impedir de ir aos encontros regionais com as confederações da Europa, América do Sul e África, encontros esses nos quais Dave Haggerty esteve presente”.

“As ações deste código de conduta não afetam apenas a mim, mas a todos os outros candidatos. Então, sim, não acho justo e quero deixar minha opinião bem clara. A ITF segue com esse papo de que sua Comissão de Ética é independente, mas uma coisa precisa ser dita: os executivos da ITF escreveram o código, o board aprovou e, mais tarde, apontaram a Comissão como os responsáveis por fazer valer o código”, explicou Miley. “A Comissão não esteve envolvida com a produção do código, e agora estão dizendo ‘somos independentes, mas os executivos criaram esse código aqui’”.

Miley ainda acusou Haggerty de violar o código de ética ao empregar a John Tibbs Associates — uma empresa de comunicação e relações públicas — para gerir sua campanha. “Esse é um problema para mim. Nunca direi nada de negativo sobre Dave Haggerty. Sei o quanto ele se importa com o tênis, que está trabalhando duro pelo esporte e respeito isso. Acho que ele, talvez, não tenha recebido os conselhos corretos sobre essa contratação, mas é um problema sério”.

“Fui bloqueado por esse Código de Conduta de tantas formas, que em determinado momento eu perguntei para a Comissão de Ética se poderia usar um fotógrafo que trabalha ocasionalmente para a ITF e eles disseram não. Agora, Dave Haggerty usou a John Tibbs Associates em 2015 para fazer todo seu manifesto, toda sua campanha, em razão de terem trabalhado com o Comitê Olímpico Americano na candidatura de Chicago”.

“Após isso, ele os contratou como consultores da ITF pelos últimos três anos e meio, e agora, de repente, eles aparecem em seu manifesto como a companhia que está cuidando da coisa toda. Isso com o Código dizendo que não Podemos usar nenhum membro do staff ou consultor da ITF para ajudar em nossas campanhas”, protestou o americano.

“Dave Haggerty violou o Código, então pedi que seu manifesto fosse desconsiderado”, prosseguiu o candidato. “Já fazem duas semanas do meu pedido e a Comissão de Ética não moveu uma investigação sequer, o que me faz acreditar que esse Código — sinto dizer isso — é para os demais candidatos, não para o atual presidente que busca sua reeleição, de modo que estou bastante preocupado com isso. Escrevi uma carta para a Comissão de Ética pedindo que me avisassem quando fossem iniciar a investigação, e fiquei muito decepcionado com a reação”.

Haggerty, por sua vez, não se absteve da situação, e decidiu se defender negando todas as acusações de Miley. “Estou ciente das falsas alegações feitas por um candidato à presidência da ITF. Eu segui todas as determinações do Código de Eleições da ITF, não lancei meu manifesto mais cedo e sigo tendo minhas obrigações como presidente da entidade. Seguirei respeitando as determinações dos Comitês de Eleição e de Ética da ITF, incluindo não fazer nenhum comentário negativo acerca dos demais candidatos”.

Sandra Osborne, líder da Comissão de Ética da entidade, também se manifestou a respeito do caso. “O Código atualizado foi adorado pelo quadro de diretores de modo a garantir os maiores padrões de integridade, governança e transparência para nossas eleições. Códigos de Ética não são estáticos, eles evoluem de acordo com o desenvolvimento de uma organização ou indústria de modo a facilitar suas práticas”.