X

Nishikori comemora evolução em balanço da temporada e confessa ser teimoso

Sexta, 23 de dezembro 2016 às 11:00:23 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Preparado-se para a temporada 2017, o japonês Kei Nishikori concedeu uma entrevista ao jornal japonês Nikkei onde fez um balanço da temporada, revelou segredos de seu jogo e concordou com a análise feita a respeito de sua teimosia tática em quadra.



Nishikori iniciou a entrevista falando da conquista inédita de uma medalha olímpica para o tênis japonês, bronze nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro e da experiência olímpica: "Era um ambiente completamente diferente (do circuito). Senti algo diferente na proximidade com atletas de outros esportes que lutam bravamente e o quanto são tão determinados na luta por uma medalha. Especialmente [Andy] Murray. Porque naquelas circunstâncias ninguém desistiria antes do fim. O jogo do bronze contra [Rafael]  Nadal, estava quase ganhando o jogo e ele virou. Foi diferente como ficou apertado".

O japonês acredita que a melhor partida que jogou no ano foi a vitória sobre Murray nas quartas de final do US Open:  "Também tive alguns jogos em que salvei match-points e venci no ano. O que é interessante sobre o quão grande posso ser, como casa ponto pode mudar um jogo.  Foi uma questão de centímetros quando bati a bola para fazer este ponto (o da virada)", recordou ele que reviu o jogo e destacou que as experiências fazem jogadores mais fortes.

Nishikori também comentou o porque é chamado de "teimoso" pela mídia especializada. O japonês explicou que os comentário são sobre seu uso exaustivo de golpes como o drop-shot, em que erro e acerto estão em uma linha tênue, mas ponderou: "sou capaz de executar como muita competência". O japonês concordou com os comentários da mídia especializada e ponderou: "Penso que meu tênis´um mix de coisas que consigo fazer, como bater bem direita e esquerda, drop-shots e bolas com ângulo. Acredito que é assim que posso vencer colocando meu adversário em dúvida".

O japonês confessou que ficar muito nervoso antes dos jogos começarem, mas que isso nunca interferiu em sua performance e independe do adversário.

banner
banner