X

Capitão argentino: 'Bellucci não gosta do saibro pesado de Buenos Aires'

Sexta, 19 de dezembro 2014 às 08:00:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Recém-nomeado capitão da Argentina na Copa Davis, Daniel Orsanic concedeu entrevista ao jornalista Sebastián Torok, do La Nación, e falou sobre as expectativas para seu primeiro compromisso à frente da equipe, no duelo contra o Brasil na primeira rodada do Grupo Mundial de 2015.

Ele também falou sobre a possibilidade de contar com Juan Martin Del Potro na equipe.

Principal expoente de uma geração sem tantos nomes fortes no circuito em relação ao últimos anos, Del Potro não disputou a Copa Davis em 2014 devido a divergências com a AAT e o então capitão Martín Jaite. Contudo, a nomeação de Orsanic reabriu a possibilidade de um diálogo para a volta da 'Torre de Tandil' à equipe. Orsanic conversou com o tenista e ainda não sabe se poderá contar com ele no duelo contra o Brasil.

"Falei com o Juan Martin e o Franco (Davin, seu treinador). Falamos sobre muitas coisas, o desenvolvimento dos jovens, ele está interessado em tudo, no desenvolvimento do tênis em geral. A Associção está tentando transmitir essa nova posição de diálogo, estamos abertos à comunicação".

"Quanto a se juntar à equipe contra o Brasil, ele foi bem sincero. Não joga há dez meses e no momento só pensar em voltar a competir. O importante agora é estar saudável para jogar, está focado somente nisso. Entendo essa expectativa, mas temos todos que respeitar essa prioridade. Primeiro ele só quer voltar a competir e, voltando, ver como se sente", afirmou.

Sobre o duelo contra o Brasil, Orsanic prevê um duelo equilibrado. Ele opinou sobre a série e especialmente sobre Thomaz Bellucci, número um de simples do Brasil e com quem trabalhou como técnico por dois anos entre 2011 e 2013.

"Thomaz não teve um bom ano, mas fez uma boa Copa Davis e recuperou sua confiança no final do ano. Creio que jogar em um saibro lento, em Buenos Aires, não lhe favorece. Historicamente ele nunca gostou de jogar em Buenos Aires com essas condições. Quando teve bons resultados no saibro, foi em um saibro mais rápido, como em Gstaad. Tanto ele como Soares e Melo preferem um saibro mais rápido ou o piso rápido. Por isso, hoje a melhor decisão seria jogar em um saibro pesado e ao livre, em Buenos Aires. Bellucci é um jogador perigoso, tem bom histórico na Davis e deve sempre ser respeitado, e a duplas deles é franca favorita, mas nossos simplistas são os favoritos. O favoritismo não está muito definido", finalizou ele.
banner
banner