X

IPTL termina e deixa legado de inovação e competitividade

Sábado, 13 de dezembro 2014 às 16:32:01 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Considerado um dos maiores torneios de exibição de todos os tempos, a primeira edição do International Premier Tennis League termina neste sábado e deixa grandes momentos, jogadas e experiências. Mas no final o que mais chamou atenção foi a competitividade dos jogadores.

Uma das marcas da última etapa da IPTL foi a presença de Pete Sampras em Dubai, local onde o dono de 14 títulos de Grand Slam nunca jogou antes. No entanto, Pistol Pete, como é conhecido o americano, desapontou seus fãs presentes no Hamdan Sports Complex quando não apareceu para o duelo desta sexta-feira.

Sampras fazia parte da equipe Indian Aces e estava cotado para jogar dois dias na etapa de Nova Déli e apenas um na etapa de Dubai. O americano esteve presente no primeiro dia de jogos mas acabou sendo substituído por Fabrice Santoro na partida de Grandes Campeões do Passado. Essa substituição simboliza muito o espírito competitivo dos jogadores ao longo do torneio, pois mostra que apesar de ser uma exibição jogam apenas os que tem plenas condições, como contou Fabrice Santoro, líder da equipe Indian Aces ao portal de esportes Sport 360.

“Foi uma decisão da equipe, pois quando ele jogou sua última partida em Déli ele se contundiu e não podíamos nos arriscar, pois a competição é muito forte e se ele jogasse contundido seria um grande risco para a equipe e uma situação muito complicada. Então dissemos que se ele não pudesse jogar 100% contra Pat Rafter, seria melhor que não jogasse.”

Além desta situação, outro fato muito comentado ao longo das transmissões do torneio foi a postura dos australianos em quadra, principalmente do jovem Nick Kyrgios, que comemoravam efusivamente a cada ponto vencido. Apesar de ser uma característica marcante dos australianos, o fato chamou atenção por ter ocorrido em um torneio de exibição, evidenciando o total comprometimento dos atletas com a vitória.

Até o suíço Roger Federer, que mostrou muito bom humor ao longo de sua participação e jogou solto em suas partidas de duplas, assumiu um ar de seriedade e elevou seu nível quando jogou contra o sérvio Novak Djokovic. Adversários diretos no circuito, os dois protagonizaram uma partida de alto nível com cara de final, onde apesar das brincadeiras e descontrações que imperaram ao longo de toda a etapa, ambos os tenistas jogaram para vencer.

Após o sucesso destas 3 semanas, tanto de público in loco quanto nas transmissões televisivas, fica a dúvida se a competição se firmará nos próximos anos. A ideia inovadora de Mahesh Buphati foi largamente elogiada por grandes nomes do esporte e teve como principal objetivo impulsionar o tênis na Asia.
banner
banner