X

Criando Talentos - Aprenda a treinar durante um torneio

Quarta, 01 de novembro 2006 às 12:29:25 AMT

Link Curto:

Rodrigo Leander
Durante um torneio, não devemos jogar apenas as partidas, mas treinar entre elas. Em sua coluna, o técnico Rodrigo Laender, da equipe Amil, dá dicas sobre como se preparar para os jogos de uma competição. E o que fazer quando for eliminado, mas é preciso manter o foco para a semana seguinte.

Olá a todos. Escrevo de São Bernardo do Campo, onde está sendo realizado mais um torneio Future. Sendo esta minha quinta semana na estrada, vou falar um pouco sobre o dia a dia de trabalho nestes torneios.

Um dos aspectos mais importantes do trabalho em viagens é o treinamento durante as competições. Enquanto os atletas seguem no torneio, esse trabalho é mais simples. Normalmente se faz uma manutenção da parte técnica e física, realizando assim treinos mais curtos, embora intensos, como, por exemplo, séries de tiros curtos ou musculação mais leve na parte física, ou foco maior na parte de quadra, com a disputa de pontos ou algum ajuste técnico/tático a ser feito para a próxima partida. Essa rotina é facilitada principalmente pela motivação do tenista quando ainda se encontra disputando a competição.

O desafio se torna maior quando os jogadores já foram derrotados e ainda têm 5 ou até 7 dias para o início do próximo torneio. Principalmente quando são derrotados na primeira rodada, a disposição para os treinamentos, geralmente, sofre uma queda e aí entra o papel do treinador. Ele precisa fazer o atleta entender que uma derrota não é o fim, que ela deve ser esquecida, mas ao mesmo tempo que deve - se aprender com os erros cometidos. É necessário que haja evolução e que estes mesmos erros não se repitam, por isso a importância da alta qualidade dos treinamentos em competição. O técnico, neste momento, precisa encontrar formas de estimular os tenistas, para que esse padrão de qualidade seja atingido no restante da semana.

Particularmente, eu utilizo alguns "truques" para fazer com que o trabalho diário não se torne tão rotineiro para os atletas. Por exemplo, no dia seguinte à derrota, se noto o meu atleta exageradamente cansado ou desestimulado para a parte de quadra, dou maior ênfase à parte física, onde ele não pensará tanto em jogadas ou momentos da partida do dia anterior.Ao mesmo tempo ele já estará se recompondo fisicamente para os próximos dias. À medida que os dias passam e o próximo torneio se aproxima, a parte de quadra vai aumentando, já que o jogador sente a proximidade da competição e naturalmente se estimula mais.

Outra coisa que procuro fazer é variar os horários, parceiros e conteúdo e cargas dos treinos, mesclando, por exemplo, parceiros de estilo ou níveis de jogo distintos, ou variando um dia duro com treinos em 2 períodos com um outro com um período de folga.

Um terceiro aspecto fundamental nessas semanas de treino é saber trabalhar e corrigir os pontos fracos, mas não se esquecendo de dedicar tempo e aprimorar os pontos fortes. Os pontos fortes de um tenista merecem atenção especial, pois são suas bases de jogo e é usando e executando bem estes que ele irá vencer.Por isso treinando bem seus pontos fortes ele se sentirá confiante. Já os pontos fracos devem ser trabalhados sem que o atleta sinta que estes são motivos de preocupação.Então geralmente deve-se tentar intercalar séries de treinos de golpes e jogadas que estão "afiadas" com outras que não estão funcionando, sem deixá-los perceber um enfoque exagerado a algum deles.

As rotinas acima são bem óbvias e básicas, mas funcionam na prática e ajudam a tornar o trabalho diário nas viagens mais eficiente.
teninews.com.br
br.jooble.org