X

Bellucci faz testes físicos em São Paulo e empolga equipe

Sábado, 30 de novembro 2013 às 11:04:36 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Ariane Ferreira - A fim de começar firme na temporada 2014, o número um do Brasil e 126 do mundo, Thomaz Bellucci, realizou uma série de testes físicos no Núcleo de Alto Rendimento (NAR-GPA) em São Paulo. E os resultados do paulista foram animadores.

Depois de uma temporada 2013 complicada, na qual sofreu duas lesões importantes e ficou meses parado (abdômen e ombro), Bellucci compareceu ao NAR-GPA para realizar testes de agilidade, potência muscular, saltos e velocidade, e surpreendeu com bons resultados.

Nos testes coordenados pelo diretor técnico Irineu Lotuco, Bellucci esteve acompanhado de seu preparador físico André Cunha, da 4Perform, que como a equipe do NAR-GPA, considerou os resultados do brasileiro bem satisfatórios: “Hoje fizemos os testes e o Thomaz tem todos esses aspectos muito bons. Como todo atleta, pequenos detalhes sempre fazem muita diferença, iremos trabalha-los na pré (temporada)”, explicou.

Bellucci iniciou os trabalhos no teste de salto, nesta etapa o tenista saltou de uma plataforma com sensores com diferentes propulsões. Deste, Thomaz passou para o de velocidade, onde realizou o conhecido teste de Cod Speed Planned, ou em português teste de velocidade com mudança de direção planejada. Na sequência veio o teste de agilidade, onde em um pequeno espaço, na mesma quadra do teste de velocidade, Bellucci testou sua resposta a estímulos programados e de momento.

Por fim, veio o teste de força, que mediu a potência muscular do natural de Tietê nos membros superiores e inferiores. Neste teste, Bellucci precisava lançar uma espécie de supino fixo, com pesos que foram sendo acrescidos no decorrer da atividade, e o pegar no ar, em uma ação coordenada e rápida. Tanto nos membros superiores (teste deitado), quando nos inferiores (em pé), Thomaz suportou carga próxima ou igual a seu peso, que é de 85kg.

Bellucci explica a necessidade dos testes: “A gente tem feito vários testes para ver o que eu preciso melhorar. E a parte física é um trabalho muito tênue de treinamento. Em algumas coisas eu sou muito bom e outras nem tanto. Então, temos que tentar manter as coisas que eu faço bem e não deixar essas coisas que eu faço ‘tão mal’ me afetar dentro de quadra”.

O preparador físico do brasileiro explica que o trabalho multidisciplinar que realiza com o médico fisiologista do tenista, Gustavo Magliocca, o ajuda planejar trabalhos específicos voltados a “prevenção e longevidade” do atleta.

André Cunha conta que gosta de trabalhar com a ferramenta FMS (Functional Movement Screen), que analisa e mensura o risco de lesão dos atletas, o que ajudará Bellucci na temporada. “Queremos deixar o Thomaz em ótima forma”, explicou.

Durantes os testes de força, Bellucci comentou ter ganho massa magra nos últimos onze meses. O brasileiro saiu dos 78kg para os atuais 85kg. A mudança foi o que a equipe planejou para ter “um Thomaz, atlético, forte e rápido”, conta André. O preparador explica que o ganho de peso de Bellucci, se deu em decorrência de uma hipertrofia miofibrilar funcional, que é um desenvolvimento muscular que aumenta a capacidade de produção de força.

O preparador físico do número um do Brasil conta ainda que o trabalho de pré-temporada tem como um dos seus principais focos o “desenvolvimento do sistema energético” do tenista, que muitas vezes apresenta cansaço e exaustão em jogos mais longos. “Ele já tem uma ótima capacidade aeróbica, queremos aprimorar a capacidade anaeróbica lática.Estamos fazendo um trabalho de base nessas duas semanas, faremos com intervalos em seguida, multidirecionais, e por fim, o que chamamos de sport specific, para simular o mais perto possível da realidade do esporte dele”.

Participativo, Bellucci tirou dúvidas sobre treinamentos, exigências e mesmo movimentos de risco para lesões com a equipe do NAR-GPA. O brasileiro destacou o trabalho de seu corpo técnico, e frisou a importância de detectar falhas e déficits. “Isso é importante para a carreira de um jogador. Para você estar entre os 10 você precisa ser um jogador completo, tanto tecnicamente como fisicamente. Você vê aí muitos jogadores que estão entre os melhores, que tecnicamente não são tão bons, mas fisicamente são muito fortes, conseguem aguentar jogos longos”, exemplificou dizendo que estas melhorias “são prioridade” na próxima temporada.
banner
banner