X

'Não tem lógica o ATP Finals ir para o Brasil', diz Forget, diretor de Paris

Quinta, 07 de novembro 2013 às 09:00:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Fabrizio Gallas, em Londres - Guy Forget, de 48 anos, foi número quatro do mundo em simples. O ex-tenista é nome forte na França sendo o atual diretor do Masters 1000 de Paris, torneio que antecede o ATP World Finals, evento que será jogado em Londres até pelo menos 2015.

Leia Mais:
Não canso de ver Nadal vencer em R. Garros, diz Forget, do comitê do Grand Slam

Este foi o segundo ano do ex-capitão da Copa Davis, entre 1999 até 2012, comandando o evento disputado no piso rápido e coberto de Bercy. Ele teve problemas no ano passado com jogadores não dando tanta bola pro torneio por conta da proximidade com o ATP Finals. Na época, Forget reclamou muito do calendário estar prejudicando seu evento, mas desta vez ele não teve do que falar.

“Esse ano veio tudo junto e ano passado também por conta dos problemas com Nadal, Federer desistindo em cima da hora, Murray e Djokovic caindo cedo. Foi um torneio difícil pra mim e agora foi o oposto. Exceto Murray, todos vieram, jogaram ótimas partidas e a briga pelo Nº 1. Dois anos atrás tivemos recorde de público e o evento vem sendo muito bom”, diz Forget que se disse "aliviado" pela semana de descanso para 2014 entre os dois eventos.

O Rio de Janeiro tentou tirar o ATP Finals da O2 Arena para 2014, mas não obteve sucesso e prometeu entrar na briga para 2016. Forget não vê com bons olhos.

"Se continuar pelo menos essa semana de descaso os tenistas podem jogar em qualquer continente. Mas estamos contentes com o evento em Londres, não vejo no momento motivos para tirar o torneio daqui em uma arena para 17 mil pessoas, com muito sucesso”, diz Forget que confessa um pouco de receio caso isso venha acontecer.

“Londres é um lugar perto de Paris o torneio anterior e temos pouco tempo de trem de viagem. Não seria uma boa ideia levar o evento a outro continente ao passo que os tenistas viajam muito."

Segundo Guy, que foi campeão em Paris em 1991 dentre seus onze títulos de simples, para que o Finals mude para a capital carioca, não seria necessário uma grande mudança no calendário como se cogitou antes do contrato assinado com Londres até 2015: “Não acho que os outros torneios precisem se adaptar ao ATP Finals. Os Masters 1000 e outros eventos devem permanecer onde eles estão, todos têm tradição. Se um dia o evento for para o Rio, todos os jogadores deveriam ter um descaso de pelo menos uma semana para relaxar.”, destacou Forget lembrando que apenas aspectos de patrocinadores seriam razões para que o evento mudasse de local ou mudança de foco de local dos grandes jogadores do circuito."

“Eu amo o Brasil, amo o Rio, não tome meu pensamento errado, mas o Finals deve permanecer onde está, a não ser que o patrocinador principal, o Barclays, não renove. Não teria porque mudar. O Finals foi jogado em Nova York por uns 20 anos e era ótimo e depois mudou de local pela perda de interesse nos Estados Unidos de tênis e tentativa de achar um lugar para que as pessoas assistissem. Todos aprovam aqui".

"A maioria dos tops são europeus. É muito conveniente estar onde está agora. Talvez em alguns anos com Del Potro, alguém do Brasil, outro dos EUA se chame um patrocinador para trazer o torneio para outro lugar legal inclusive no Rio e é possível que pensemos assim.”
banner
banner