X

Dicas para Acertar na compra de sua Raquete

Terça, 11 de dezembro 2012 às 10:59:35 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Jairo Garbi, da Tênis ProShop - Amigos Tenistas. Trocar de raquete de tênis ou comprar a sua primeira pode parecer simples, mas com a fartura de modelos disponíveis, a chance de comprar errado é BEM maior do que comprar certo. Então confira como acertar na escolha!

Leia Mais:
O Alto Índice de Equipamento Incompatível

Dos fatores preponderantes para que os tenistas comprem e usem raquetes de tênis incompatíveis ao seu perfil físico e características técnicas, destaco a falta de informação do comprador, uma vez que há grande carência de literaturas corretas nessa área, e o habitual despreparo da maioria dos revendedores.

Apenas reforçando o blog anterior, “equipamento inadequado gera desmotivação e eventual desconforto ao jogar”.

Todos temos o direito de escolher determinada marca de raquetes, uma vez que as linhas são extensas e contemplam praticamente todas as categorias de praticantes, mas pinçar dessa linha uma raquete que atenda as nossas necessidades não é tarefa muito fácil e requer alguns cuidados.

Engana-se quem diz que determinada marca só faz raquetes rijas, ou só para iniciantes ou avançados, etc. As grandes marcas preocupam-se em atender desde as crianças até os profissionais, mas a grande questão é, qual é a raquete ideal para cada indivíduo ?

Embora nada substitua uma boa conversa com quem realmente entende e o assunto seja mais extenso do que vamos abordar hoje, o mínimo que sugiro um tenista conhecer para ter sucesso na aquisição de uma raquete é conhecer seu nível de jogo e tamanho de swing.

Quando falo em nível de jogo, costumo dividir os praticantes em 3 categorias, iniciantes, intermediários e avançados.

Aos iniciantes ou aqueles que nunca jogaram, em geral, recomendo as raquetes mais básicas e consequentemente mais acessíveis, pois são suficientes para que jogador entenda o esporte, faça aulas, evolua tecnicamente até certo ponto, divirta-se com os amigos e decida se deve ou não continuar a praticá-lo. Ainda aos iniciantes, também recomendo fugir das raquetes de perfil muito fino (de espessura menores do que 22 mm), pesadas (acima de 300 gramas sem corda) e com a trama muito fechada das cordas (18 x 20 e similares).

Já com estilo definido, os intermediários, em geral, onde se encontra a maioria dos tenistas brasileiros, temos que analisar as características físicas e de quadra de cada jogador e buscar uma raquete que se adeque ao estilo dele. Nesse nível é errado o jogador tentar se adequar a uma raquete, exceto quando ela atende suas características...ai sim o jogador deve insistir.

Uma boa maneira de um jogador intermediário reconhecer uma provável raquete ideal é pelo tamanho de swing que ela exige (movimento de braço e corpo que se faz ao rebater a bola), versus o tamanho natural de seu swing.

Esclarecendo melhor para os intermediários, se seu swing é curto, o ideal é ter uma raquete que lhe ajude a soltar mais a bola. Essas são as raquetes de perfil um pouco mais largo (de 23 a 26 mm), equilíbrio discretamente para o cabo e trama um pouco mais aberta das cordas (16 x 19, 16 x 18 e similares).

Por outro lado, se seu swing é longo, característica que proporciona maior potência a bola, o ideal é buscar uma raquete que lhe ofereça maior controle. Isso você vai encontrar nas raquetes de perfil mais fino, equilíbrio deslocado para o cabo e com a trama mais fechada das cordas.

Aos jogadores avançados, por um lado tudo é mais fácil, pois esse já conhece muito bem suas necessidades. Mas, por outro lado, seu grau de exigência passa ser maior. Nesses casos, as raquetes de prateleira servem apenas para indicar o caminho a seguir, sendo muito comum a posterior customização, assunto que vamos tratar com carinho em breve.

Grande abraço,

Jairo Garbi
www.tenisproshop.com.br
Escreva para mim e tire sua dúvida - contatotecnico@tenisproshop.com.br
banner
banner