X

Retrospectiva Maio/Junho – Federer vence RG e completa o ‘career slam’

Sexta, 25 de dezembro 2009 às 11:00:00 AMT

Link Curto:

Federer - Campeão RG 09 II

Por Vitor Souza Paula - Sem dúvida, o fato mais marcante do bimestre maio/junho deste ano foi o título de Roger Federer no Aberto de Roland Garros, único major que faltava para o suíço completar o ‘career slam’.

Retrospectiva Janeiro/Fevereiro - Nadal triunfa na Austrália e Bellucci aparece. Leia!

Retrospectiva Março/Abril - Nadal domina. Leia!

Com a conquista de seu 14º título de grand slam, o natural da Basileia igualou a marca de Pete Sampras e colocou definitivamente seu nome na história do esporte. Relembre como foi essa conquista e ainda outros fatos marcantes da temporada!

Maio começou da mesma forma que terminou abril: com título de Rafael Nadal. Depois das conquistas em Monte Carlo e Barcelona, o espanhol dessa vez faturou o Masters 1000 de Roma (Itália) ao bater na final o sérvio Novak Djokovic por 7/6 (7/2) 6/2.

Só faltava um torneio no saibro antes de Roland Garros para Nadal vencer: o novo Masters 1000 de Madri (Espanha), agora disputado na moderna Caja Magica. Contudo, dessa vez o natural de Manacor ficou no quase. Depois de uma vitória dramática onde precisou salvar três match-points contra Novak Djokovic nas semifinais, Rafa caiu na decisão diante de sua torcida. O título ficou com Roger Federer, que venceu por duplo 6/4 e acabou com seu jejum de título que já durava mais de seis meses. O suíço ganhou confiança com a vitória e foi para Roland Garros com mais moral depois dessa conquista.

Na semana seguinte, enquanto os principais tenistas se preparavam para o Aberto da França, a dupla mineira Marcelo Melo e André Sá conquistou em Kitzbuhel (Áustria) o último título da dupla, que a partir de 2010 não joga mais junta, e também único de uma temporada que não foi boa para os dois. Na Alemanha, em Dusseldorf, a Sérvia fez a festa e conquistou o título da Copa do Mundo por Nações ao derrotar os donos casa na final.

Enfim, começou o Aberto de Roland Garros, que esse ano registrou a maior participação de brasileiros em um grand slam nos últimos anos. Ao todo tivemos quatro representantes nacionais: Marcos Daniel e Franco Ferreiro, que furaram o quali, Thiago Alves, que entrou como lucky-loser, e Thomaz Bellucci. Infelizmente, nenhum deles passou da primeira rodada. Daniel teve muito azar e enfrentou Nadal na estreia. O gaúcho fez uma boa apresentação, teve boas chances de vencer pelo menos um set, mas perdeu por 7/5 6/4 6/3. Ferreiro, que disputou pela primeira vez um Grand Slam, chegou a estar com 2 sets a 0 na frente do placar contra Feliciano Lopez, mas permitiu a virada; Alves perdeu para o ascendente francês Jeremy Chardy em sets diretos, enquanto Bellucci sentiu câimbras e abandonou contra o argentino Martin Vassallo-Arguelo.

Os destaques brasileiros no torneio ficaram por conta de Guilherme Clezar, que alcançou as quartas-de-final em simples e a final de duplas no juvenil, e Marcelo Melo, que foi vice-campeão de duplas mistas ao lado da norte-americana Vania King.

A primeira grande zebra do torneio aconteceu na terceira rodada, quando o alemão Philipp Kohlschreiber derrotou o sérvio Novak Djokovic. Contudo, a maior surpresa do torneio aconteceu nas oitavas-de-final: Rafael Nadal, atual tetracampeão, número um do mundo e rei do saibro, foi atrapalhado por dores no joelho e deu adeus à competição ao cair diante do sueco Robin Soderling por 3 sets a 1. Essa foi a primeira derrota de Nadal no Aberto da França, onde ele vinha de 31 vitórias consecutivas e lutava pela pentacampeonato.

Sem seu grande rival no caminho, Roger Federer se viu com a grande chance de sua vida de conquistar o único Grand Slam que ainda não tinha. E o suíço não decepcionou. Mesmo sem fazer uma grande campanha, ele foi avançando rodada a rodada até chegar à grande final contra o carrasco de Nadal, Soderling. E diante de uma Philippe Chatrier lotada, Federer fez história ao marcar 6/1 7/6 (7/4) 6/4 sobre o rival e conquistar seu 14º título de Grand Slam, igualando o número de Pete Sampras e completando assim seu ‘career slam’.

Entre as mulheres, o título ficou com Svetlana Kuznetsova, que surpreendeu na final a número um do mundo Dinara Safina com fáceis 6/4 6/2. Esse foi o segundo título de grand slam da russa, ao passo que sua rival amargou o vice em Paris pelo segundo ano seguido.

Outro destaque feminino do bimestre foi o retorno de Maria Sharapova às quadras depois de passar oito meses parada devido a uma lesão no ombro. Ela retornou ao circuito no WTA de Varsóvia (Polônia) e logo em seguida alcançou as quartas-de-final no Aberto da França.

Em junho teve início a temporada de torneios na grama, que começou com o título de Andy Murray no tradicional torneio de Queen`s, em Londres (Inglaterra). Ele foi o primeiro britânico a conquistar o título em casa desde Bunny Austin em 1938 e com a conquista se credenciou como um dos favoritos para Wimbledon.

E por falar no terceiro Grand Slam da temporada, o torneio sofreu uma grande baixa logo antes de seu início. O atual campeão, Rafael Nadal, não pôde defender sua conquista devido à tendinite no joelho direito que o prejudicou em Roland Garros e já havia o feito desistir também de defender seu título em Queen`s.

Entre os brasileiros, o destaque do mês foi a vitória sobre a Colômbia na Copa Davis, fora de casa, por 4 a 1, com destaque para as atuações de Thomaz Bellucci, que liderou a equipe, e Franco Ferreiro, que pela primeira vez defendeu o país na competição. O Brasil garantiu assim sua vaga nos play-offs do Grupo Mundial, onde enfrentaria em setembro o Equador, em casa, por uma vaga na elite do tênis mundial em 2010.

O gaúcho Marcos Daniel viveu grande fase na Europa onde conquistou pela primeira vez um challenger no continente (em Zagreb, na Croácia) e ainda chegou à quartas-de-final no ATP 250 de Belgrado (Sérvia), além de uma boa atuação contra Nadal em Roland Garros. Em Blumenau (SC) saiu mais um título challenger para o país, dessa vez com o jovem e promissor Marcelo Demoliner.

Confira todos os campeões de maio/junho

Masculino:

Roma: Rafael Nadal (ESP)
Estoril: Albert Montañes (ESP)
Munique: Tomas Berdych (CZE)
Belgrado: Novak Djokovic (SER)
Madri: Roger Federer (SUI)
Copa do Mundo por Equipes: Sérvia
Kitzbuhel: Guillermo Garcia-Lopez (ESP)
Roland Garros: Roger Federer (SUI)
Queen`s: Andy Murray (GBR)
Halle: Tommy Haas (ALE)
s`Hertogenbosh: Benjamin Becker (ALE)
Eastbourne: Dmitry Tursunov (RUS)

Feminino:

Fes: Anabel Garrigues (ESP)
Roma: Dinara Safina (US)
Estoril: Yanina Wickmayer (BEL)
Madri: Dinara Safina (RUS)
Varsóvia: Alexandra Dulgheru (ROM)
Estrasburgo: Aravane Rezai (FRA)
Roland Garros: Svetlana Kuznetsova (RUS)
Birmingham: Magdalena Ribarikova (SVK)
Eastbourne: Caroline Wozniacki (DIN)
s`Hertogenbosh: Tamarine Tanasugarn (TAI)
teninews.com.br
br.jooble.org