X

Especial Masters Cup: Cinco Grandes Campeões

Sexta, 11 de novembro 2005 às 16:27:11 AMT

Link Curto:

Ivan Lendl
A Masters Cup é um torneio disputado pelos principais tenistas de uma temporada. Não é por acaso que grandes nomes do tênis mundial já levantaram esse tão cobiçado troféu. Selecionamos cinco nomes e vamos falar sobre suas trajetórias nesse evento que fecha a temporada do circuito mundial.

IVAN LENDL

Ivan Lendl (foto) é tcheco naturalizado americano. Teve o auge de sua carreira na década de 80, quando conquistou oito Grand Slams. Antes de aparecer Pete Sampras, era ele que detinha o recorde de semanas como número 1 do mundo.

Em Masters Cup, Ivan Lendl tem uma marca que impressiona, a de ter sido nove vezes seguidas finalista do torneio. Sua primeira decisão ocorreu em 1980 diante de Bjorn Borg. Foi facilmente derrotado por 3 a 0, com parciais de 6/4, 6/2 e 6/2. Em 81, ele derrotou o compatriota Vitas Gerulaitis por 3 a 2, com parciais de 6/7, 2/6, 7/6, 6/2 e 6/4. Em 82, conquistou o bicampeonato, derrotando John McEnroe na decisão por fáceis 6/4, 6/4 e 6/2. Nos dois anos seguintes levou o troco de McEnroe com juros. Em 83 foi derrotado por 6/3, 6/4 e 6/4. Já em 84 perdeu por 7/5, 6/0 e 6/4.

Depois desses vices, completou sua impressionante seqüência com mais três títulos e outro vicecampeonato. Em 85, derrotou o alemão Boris Becker por 6/2, 7/6 e 6/3. No ano de 1986, derrotou novamente o alemão com um triplo 6/4. Em 87, passou pelo sueco Mats Wilander por 6/2, 6/2 e 6/3. No último ano da seqüência, foi derrotado por Boris Becker em cinco disputados sets, parciais de 5/7, 7/6, 3/6, 6/2 e 7/6.

Com isso obteve cinco troféus e quatro vices, tornando-se o maior personagem da Masters Cup.

BORIS BECKER

O alemão Boris Becker conquistou em sua carreira seis títulos de Grand Slam. Chegou a ser número 1 do mundo em 1991, mas não permaneceu por muitas semanas.

Sua campanha em Masters Cup, assim como a de Lendl, é impressionante. Chegou a um total de oito finais, conquistando três títulos. Sua primeira decisão ocorreu em 1985, tendo sido derrotado por Ivan Lendl, com parciais de 6/2, 7/6 e 6/3. No ano seguinte nova derrota na decisão para Lendl, desta vez por triplo 6/4. Em 1988, finalmente conquistou seu título, derrotando seu carrasco das outras duas finais. A vitória ocorreu por 3 sets a 2, com parciais de 5/7, 7/6, 3/6, 6/2 e 7/6. Para completar a excelente década de 80, chegou a nova final em 1989, mas perdeu para o sueco Stefan Edberg por 4/6, 7/6, 6/3 e 6/1.

Depois de quatro decisões na década de 80, Becker repetiu o êxito na década seguinte. Em 1992 foi novamente campeão, derrotando o americano Jim Courier na final por 3 a 0, com parciais de 6/4, 6/3 e 7/5. Em 1994 voltou à decisão, mas foi derrotado por Pete Sampras em quatro sets, parciais de 4/6, 6/3, 7/5 e 6/4. O seu tricampeonato veio em 1995, com a vitória sobre o americano Michael Chang, parciais de 7/6, 6/0 e 7/6. Sua última decisão foi no ano seguinte, quando foi novamente derrotado por Pete Sampras, desta vez em cinco árduos sets, parciais de 3/6, 7/6, 7/6, 6/7 e 6/4.

PETE SAMPRAS

O americano Pete Sampras detém o recorde de títulos de Grand Slam, com 14 conquistas. Encerrou sua carreira com o troféu do US Open em 2002.

Em Masters Cup, Sampras conquistou cinco títulos em seis finais. Sua primeira decisão, em 1991, foi vitoriosa. Ele derrotou seu compatriota Jim Courier por 3 sets a 1, com parciais de 3/6, 7/6, 6/3 e 6/4. Dois anos depois, ocorreu sua única derrota em decisões, para o alemão Michael Stich. Stich venceu por 3 a 1, com parciais de 7/6, 2/6, 7/6 e 6/2.

A partir daí, sempre que chegou à final, Sampras levantou o troféu. Em 1994 venceu Boris Becker na decisão, em nova final de quatro sets, parciais de 3/6, 6/3, 7/5 e 6/4. Em 1996, seu adversário foi novamente Boris Becker e o americano levou a melhor de novo, desta vez por 3 a 2, com parciais de 3/6, 7/6, 7/6, 6/7 e 6/4. Em 1997 a decisão foi diante do russo Yevgeny Kafelnikov. O jogo foi bastante tranqüilo, com parciais de 6/3, 6/2 e 6/2. Seu último triunfo ocorreu em 1999, vencendo em três sets o compatriota Andre Agassi, parciais de 6/1, 7/5 e 6/4.

Como curiosidade, a última partida de Sampras em Masters Cup ocorreu na semifinal no ano 2000, quando foi derrotado por Guga com parciais de 6/7, 6/3 e 6/4.

ANDRE AGASSI

Andre Agassi, de 35 anos de idade, conquistou até hoje em sua carreira oito títulos de Grand Slam. Em Masters Cup, tem muita história para contar em suas 12 participações.

Ele chegou à final pela primeira vez em 1990 e conquistou seu único título. Na ocasião o ainda cabeludo tenista americano venceu o sueco Stefan Edberg por 3 a 1, com parciais de 5/7, 7/6, 7/5 e 6/2.

Voltou a uma decisão apenas nove anos depois, já careca e com muitos títulos a mais na carreira. Na ocasião, foi derrotado em três sets por Pete Sampras, parciais de 6/1, 7/5 e 6/4. Mesmo com a derrota, terminou a temporada como número 1 do mundo sem sustos. No ano seguinte foi novamente finalista. Desta vez a final foi contra Gustavo Kuerten, que precisava da vitória para ser número 1 do mundo. Diante de um adversário duplamente motivado, não teve a menor chance, tendo sido derrotado por triplo 6/4. Sua última decisão ocorreu em 2003, contra o suíço Roger Federer. Novamente foi derrotado em três sets, desta vez com parciais de 6/3, 6/0 e 6/4.

ROGER FEDERER

O suíço Roger Federer, de 24 anos, apesar de jovem, já conquistou seis títulos de Grand Slam. É o atual bicampeão invicto da Masters Cup, demonstrando todo o seu domínio no circuito mundial.

Em 2003, quando foi campeão pela primeira vez, derrotou na final o americano Andre Agassi por 6/3, 6/0 e 6/4. Apesar do título, terminou a temporada com número 2 do mundo. O número 1 na ocasião foi Andy Roddick, que foi derrotado na semifinal pelo suíço. Ano passado, já como número 1 do mundo absoluto, venceu o torneio novamente, desta vez derrotando o australiano Lleyton Hewitt na final por 6/3 e 6/2.
banner
banner