X

Mello classifica Brasil para Segunda Divisão da Davis, Guga abandona em seguida

Domingo, 25 de setembro 2005 às 14:51:44 AMT

Link Curto:

Ricardo Mello - BRA x URU - Set/05
O campineiro Ricardo Mello ganhou a confiança do capitão Fernando Meligeni e classificou o Brasil para o Grupo I do Zonal Americano, a segunda divisão da Copa Davis. Mello teve uma partida dura e virou para cima de Marcel Felder em quatro sets: 6/7 (7/5) 6/1 6/3 6/2. Em seguida, Guga abandonou e confronto terminou 3 a 2.


Como já era esperado, Ricardo Mello, número 88 do mundo e número um do Brasil, substituiu Flávio Saretta que decepcionou ao perder para Pablo Cuevas na sexta-feira. O brasileiro conseguiu sua quarta vitória em quatro jogos neste ano na Copa Davis. Venceu uma diante da Colômbia, duas contra as Antilhas Holandesas e agora mais uma com o Uruguai.

Com o resultado, o time brasileiro retorna a segunda divisão da Davis, o Grupo I do Zonal Americano, após cair para a terceira divisão devido ao boicote liderado por Guga em 2003. Em 2006 o time canarinho poderá enfrentar México, Peru, Equador Venezuela e talvez o Canadá que ainda joga com a Bielorrússia por uma vaga na elite da competição.

Assim como todo o confronto, a partida de hoje não foi nada fácil. Marcel Felder, número 488 do mundo e número um do Uruguai, contou com o apoio de cerca de 2 mil pessoas que lotaram a quadra do Carrasco Lawn Tennis Club em Montevidéu.

“Eu joguei dentro do meu estilo, no fundo de quadra, trocando muitas bolas, forçando o revés dele para ganhar os pontos. Foi uma partida difícil, com o público perturbando bastante, mas foi um grande triunfo e estou feliz em poder ajudar o Brasil a ganhar o ponto decisivo. Esta vitória foi importante também para me dar mais confiança no saibro”, explicou Ricardo Mello.

O primeiro set foi muito disputado. Mello entrou bem, batendo com confiança conseguiu uma quebra logo de cara e abriu 2/0. Contudo, Felder devolveu a quebra e deslanchou no set. Com muita confiança , o uruguaio abriu 5/3, mas viu Mello empatar em 5/5 e levar o jogo ao tie-break. No desempate, o brasileiro chegou a ter 4 a 1, deu uma brecha ao adversário, este não desperdiçou e marcou 7/6 (7/5).

No segundo set, Ricardinho, o "papagaio" — apelido dado pelos companheiros de time na Davis —, voltou melhor e pressionando mais o jogo do oponente. Logo conseguiu uma quebra e venceu fácil o set por 6/1.

No terceiro e quarto sets, Mello manteve a consistência e Felder era uma presa fácil e sem resistência física. Resultado: 6/3 6/2 para o Brasil, 3 a 1 no placar geral.

Na última partida do confronto, Gustavo Kuerten sentiu dores no pé e abandonou logo depois de perder o primeiro set por 7/6 (7/5) para Pablo Cuevas (número 496 do mundo). Com isso o confronto terminou em 3 a 2 para o time brasileiro.

Para Fernando Meligeni, a vitória da equipe brasileira mostrou, acima de tudo, que este grupo tem motivos de sobra para estar disputando uma vaga no grupo mundial da Copa Davis.

“Não foi uma vitória simples, sabíamos que seria difícil , mas mostramos que temos uma equipe sólida e com uma grande virtude, que é ser uma equipe unida e com respeito pelos outros em qualquer situação.Para estar no Grupo Mundial, é preciso ser assim, aceitar as substituiçòes, como o Mello aceitou não jogar na sexta, o Saretta , que encarou numa boa não jogar no sábado. Eles mostraram que todos querem estar no Grupo Mundial. Mas agora, primeiro precisamos ver quem vai estar no Grupo 1, jogar estes confrontos, para subir mais um degrau”, encerrou Meligeni.

Confiram mais resultados da Copa Davis
banner
banner