X
banner

Djokovic reclama dos horários da quadra central e elogia Sinner

Domingo, 03 de julho 2022 às 21:20:01 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Novak Djokovic, número três do mundo, reclamou dos horários tardios dos jogos da quadra central em Wimbledon, após sua vitória que valeu vaga nas quartas de final no All England Club contra o holandês Tim Van Rijthoven.



O sérvio passou pelo holandês Tim Van Rijthoven, 104º colocado, por 3 sets a 1 com parciais de 6/2 4/6 6/1 6/2 após 2h37min e destacou o jogo do rival: "Indo para a quadra eu sabia que seria um confronto difícil e desafiador contra Tim, alguém com quem eu nunca havia jogado. Sim, já o tinha visto jogar, tem um grande estilo na grama, algo que voltou a mostrar hoje. Foi uma grande luta, principalmente nos dois primeiros sets. Em geral, acho que joguei muito bem, fui sólido no fundo da quadra e entrei muito bem no ritmo do saque dele, aos poucos fui lendo melhor durante o terceiro e quarto set. Estou satisfeito com a forma como terminei a partida, embora tenha perdido um pouco do ritmo do meu saque”.

Djokovic participou da cerimônia na quadra central pelo aniversário de 100 anos dela e comentou o quão especial é atuar na superfície: "Sabemos que Wimbledon sempre respeita a tradição, e é por isso que os horários de partida dos dois principais não mudam há muitos anos, embora eu tenha ouvido algumas pessoas falarem sobre a opção de mudar os horários. Honestamente, não vejo razão para você não começar um pouco mais cedo, especialmente agora que há entrevistas na quadra, o que não havia anos atrás. Além disso, se você fizer a última rodada, sabe que provavelmente terminará com o teto fechado, o que muda as condições, o estilo de jogo e a maneira como você se move.”

“Claro que hoje foi uma ocasião especial, acho que era necessário comemorar os cem anos da Quadra Central, para mim foi uma honra estar presente, feliz por fazer parte disso. É um daqueles momentos únicos que se pode viver como tenista, vou guardá-lo para o resto da minha vida. No entanto, acho que a maioria dos jogadores concorda que todos nós queríamos começar as partidas mais cedo nesta mesma quadra. Por que não movê-lo meia hora ou uma hora antes ? Acho que seria bastante útil terminar todos os jogos sem a necessidade de usar o teto”.

Nole comentou sobre seu filho Stefan o qual levou para bater bola na semana e a imagem viralizou nas redes: "Ele gosta de jogar muito, gosta de me intimidar na quadra finalizando o swing pra cima, sabe que não gosto muito disso. Estou tentando ensiná-lo a terminar com a mão para baixo, por cima do ombro. Sempre que ele faz esse gesto acaba rindo, ele sabe, temos aqueles momentos engraçados em quadra. Eu tento levar o máximo de tempo que posso para jogar com ele, agora ele está completamente imerso no tênis, está sempre observando como o jogo é jogado, analisando as partidas, conversamos muito sobre essas coisas. Ontem à noite, antes de colocá-lo na cama, ele me perguntou sobre o tamanho das cabeças das raquetes, as cordas e as tensões, as coisas típicas que o deixam curioso. Neste momento está apaixonado pelo ténis, sempre foi seu desejo estar lá”.

Sobre Sinner, seu rival de terça-feira, Nole fez comparativos com o seu jogo: "Só tenho coisas boas a dizer sobre o jogo de Sinner, todos sabemos o quão talentoso ele é, ele já é um jogador de ponta estabelecido. Eu o vi jogar em muitas superfícies nos últimos anos, ele está amadurecendo em todas as etapas, acho que ele não sente muita pressão por lugares, algo que talvez possa te pegar quando você é jovem. Ele está muito confiante, acredita que pode vencer qualquer um, em qualquer estádio, o que é importante para alguém como ele. Além disso, ele já tem experiência, venceu grandes partidas e sabe o que é estar no top 10”.

Nole viu uma parte da vitória de Sinner contra Alcaraz: "“Eu o vi jogar hoje, foi uma atuação dominante nos dois primeiros sets, depois a luta foi mais apertada, uma grande luta. Mas, de alguma forma, ele sempre teve o controle da partida. Ele é muito sólido, tem todos os chutes em seu jogo e está constantemente pressionando a oposição. Eu vejo um pouco de mim no jogo dele, o que ele faz na quadra, jogando o backhand plano e pressionando os adversários com esse movimento constante. Sei que será um jogo desafiador para nós dois, ele está jogando rápido, adora esse ritmo. Já treinamos aqui algumas vezes, sei o que me espera, mas vou me certificar de que estou pronto”.

banner
banner