X

Raio-X: Confira histórico e detalhes de todos os confrontos da Copa Davis

Quarta, 02 de março 2022 às 17:41:44 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Ariane Ferreira - Para além do confronto entre Brasil e Alemanha, a disputa do qualificatório para as finais do Grupo Mundial da Copa Davis conta com outras 22 nações, de 4 continentes, para a definição dos 12 classificados.



A disputa das Finais está programada para o período entre 14 e 18 de setembro e 23 e 27 de novembro.

Nesta sexta e sábado, 04 e 05 de março, o tênis masculino global está voltado para as disputas de classificação da Copa Davis. Incluindo as rodadas iniciais dos Playoffs dos grupos I e II e a definição do qualificatório das finais do Grupo Mundial, que definirão quais são as 12 nações classificadas para a competição que definirá o campeão da Davis 2022.

Neste qualificatório, também chamado de Playoffs do Grupo Mundial, há o confronto entre Brasil e Alemanha (confira o Raio-X completo do confronto) e outros 11 duelos. Cada nação que vencer seu confronto estará classificada para as Finais, que contará com 16 nações, quatro delas já garantidas: Rússia e Croácia atuais finalistas e as duas nações convidadas: Sérvia e Grã-Bretanha.

O Quali

França x Equador

Decacampeã da Copa Davis  (1927-1932,1991, 1996, 2001 e 2007) e 2º colocada no ranking da Davis, a França recebe no piso rápido coberto de Pau a equipe do Equador, 24º, que tem uma história mais recente na competição. Enquanto os franceses jogaram o torneio em 102 temporadas, o Equador disputou 56.

Capitaneada por Sebastien Grosjean, a França aposta na sólida dupla formada por Nicolas Mahut e Pierre Hugues Herbert e segue escalada com Adrian Mannarino, 58º da ATP, Arthur Rinderknech, 59, e Benjamin Bonzi, 67º. O Equador do capitão Raul Viver conta com Emilio Gomez, 144º, Roberto Quiroz, 381º, Diego Hidalgo, 589º, Antonio March, 700º e Gonzalo Escobar, 823º.

Esta será a primeira vez que os países irão se enfrentar no torneio.

Espanha x Romênia

Hexacampeã da Davis (2000, 2004, 2008, 2009, 2011 e 2019) e 3º do ranking, a Espanha recebe no saibro de Marbella a Equipe da Romênia, 36º. Liderada por Pablo Carreño Busta, 16º da ATP, a Espanha enfrenta a Romênia pela 5ª vez na história da competição, tendo vencido 3 dos confrontos, incluindo o último válido pelo regional Grupo I da edição 2016.

Daquele último encontro entre os países, a Espanha segue liderada por Carreño Busta e Roberto Bautista Agut, 15º, bem como a Romênia segue liderada por Marius Copil, 261º. Para escalar a ‘Armada Espanhola’, Bruguera conta ainda com a juventude de Alejandro Davidovich Fokina, 47º, Pedro Martinez,  50º e a estreia de Carlos Alcaraz, 19º. O capitão Gabriel Trifu tem além de Copil, Nicolae Frunza, 617º, Stefan Palosi, 615, Gabi Boitan, 721º, e o experiente duplista Horia Tecau, 17º nas duplas.

Finlândia x Bélgica

Pela 4ª vez na história, a Finlândia encara a Bélgica na Davis. Os escandinavos, capitaneados por Jarkko Nieminen são liderados por Emil Ruusuvuori, 71º, e conta ainda com Otto Virtanen, 405º, Patrik Slaminen, 782º,  o experiente duplista Hari Heliovaara, 50º nas duplas, e o jovem Otso Martikainen, sem ranking.

A Finlândia escolheu o piso rápido coberto de Espoo, para tentar empatar o confronto com a Bélgica. Os países se enfrentaram pela última vez em 1988, quando nenhum dos jogadores escalados era nascido.

O capitão belga, Johan Van Herck, convocou a equipe com Davod Goffin, 68º, Zizou Bergs, 163º, Kimmer Coppejans, 214º, e os duplistas Sander Gilles, 31º, e Joran Vliegen, 38º.

Estados Unidos x Colômbia

Maior vencedora da Copa Davis na história com 32 títulos (1900, 1902, 1913, 1921-1926,1937, 1938, 1946-1949, 1954, 1963, 1968-1972,1978, 1979, 1981, 1982, 1990, 1992, 1995 e 2007) a equipe dos Estados Unidos, 5º do ranking da Davis, recebe no piso rápido coberto de Reno, na Nevada, a equipe da Colômbia, 17ª. Este será o 5º confronto entre os dois países, cada um venceu dois duelos.

O capitão Mardy Fish escalou para o confronto um jovem e forte time com Taylor Fritz, 20º da ATP, Tommy Paul, 39º, Sebastian Korda, 40º, Jack Sock, 130º, e o experiente duplista Rajeev Ram, 4º. A Colômbia do capitão Alejandro Falla tem como principais estrelas os duplistas Juan Sebastian Cabal e Robert Farah, 9º, além de Nicolas Mejia, 265º, Alejandro Gonzalez, 453º, e Nicolas Barrientos, 476º.

Holanda x Canadá

A equipe holandesa receberá o Canadá o saibro coberto de The Hague e busca diminuir a vantagem dos canadenses no confronto direto. Em quatro duelos, os canadenses levaram a melhor em 3, incluindo os dois confrontos realizados nesse século (2004 e 2018).

O capitão holandês, Paul Haarhuis, escalou seu time com Botic van der Zandschulp, 48º, Tallon Griekspoor, 54º, Robin Haase, 49º nas duplas, Wesley Koolhof, 18º, e Matwe Middelkoop, 28º. Já o capitão canadense, Frank Dancevic não contará com seus melhores jogadores (Denis Shapovalov e Felix Auger Aliassime) e escalou Brayden Schnur, 226, Peter polansky, 287º, Steven Diez, 294º, e Alexis Galarneau, 332º.

Eslováquia x Itália

Campeã da Davis em 1976, a Itália, 10ª, vai à Bratislava onde, no piso rápido coberto, enfrenta a Eslováquia, 29ª. Os dois países se enfrentaram uma única vez, pela Davis de 2009 com vitória dos italianos.

A equipe da casa, capitaneada por Tibor Toth está escalada com Alex Molcan, 66º, Norbert Gombos, 110º, Filip Horansky, 203º, e os duplistas Filip Polasek, 13º, e Igor Zelenay, 145º. Já a Itália, do capitão Filippo Volandri, conta com Jannik Sinner, 11º, Lorenzo Sonego, 21º, Lorenzo Musetti, 57º, Stefano Travaglia, 111º, e Simone Bolelli, 21º das duplas e atual campeão do Rio Open, ao lado do compatriota Fabio Fognini, que não foi chamado.

Austrália x Hungria

Segunda maior vencedora da Davis com 28 título (1907-1909, 1911, 1914, 1919, 1939, 1950-1953, 1955-1957, 1959-1962, 1964-1967, 1973, 1977, 1983, 1986, 1999 e 2003), a Austrália,12ª, recebe no piso rápido de Sydney a Hungria. As duas nações se enfrentaram duas vezes no circuito profissional, com uma vitória para cada país. O último confronto foi realizado pela primeira rodada de grupos das Finais em 2021 com vitória da Austrália.

Capitaneada por Lleyton Hewitt, a equipe da Oceania está escalada com Alex de Minaur, 30º, Alexei Popyrin, 90º, Thanasi Kokkinakis, 99º, e os duplistas John Peers, 11º, e Luke Saville, 53º. A equipe húngara é comandada por Zoltan Nagy e está escalada com Marton Fucsovics, 35º, Zsombor Piros, 240º, Fabian Marozsan, 363º, Mate Valkisz, 439, e Peter Fajta, 567º.

Noruega x Cazaquistão

A equipe escandinava recebe em sua capital Oslo a forte equipe do Cazaquistão, 13ª da Davis, para medir forças no piso rápido coberto. As equipes nunca se enfrentaram pelo torneio.

Capitaneada por Andrea Haseth, a Noruega, 39º, conta com a sua principal estrela, Casper Ruud, 8º da ATP, e conta ainda com Viktor Durasovic, 321º, Lukas Lilleengen, 1310º, eHerman Hoeyeraal, sem ranking. Os visitantes contam com comando e Yuriy Schukin, que escalou Alexander Bublik, 32º, Mikhail Kukushkin, 160º, Dmitry Popko, 171º, Aleksandr Nedovyesov, 577º, e Andrey Golubev, 27º do ranking de duplas.

Suécia x Japão

A equipe da Suécia, 14ª, receberá no piso rápido coberto de Helsingborg a equipe do Japão, 18ª, pela segunda vez no torneio. Os suecos venceram o único encontro entre os países realizado em 1981 em Yokohama.

Para a disputa nas Finais, Robin Soderling escalou a Suécia com Mikael Ymer,85º, Elias Ymer, 133º, Dragos Madaras, 327º, e o duplista Andre Goransson, 68º. Já o Japão é comandando por Satoshi Iwabuchi e está escalado com Taro Daniel,101º, Yasutaka Uchiayama, 23º, Yosuke Watanuki, 267º, Shintaro Mochizuki, 368º e o duplista Ben Mclachlan, 35º.

Argentina x República Tcheca

Campeã da edição 2016 da Copa Davis, a Argentina, 15ª, recebe a República Tcheca, 19ª, e tricampeã do torneio (1980, 2012 e 2013) no saibro do tradicional clube de tênis de Buenos Aires. As equipes já se enfrentaram seis vezes no torneio, quatro destas vezes nos últimos 20 anos, e os tchecos levaram a melhor em cinco oportunidades. A única vez que a Argentina venceu os europeus do leste foi em 2005, justamente no Lawn Tennis Club de Buenos Aires.

Comandada por Guillermo Coria, a Argentina está escalada com Diego Schwartzman, 14º, Sebastian Baez, 62º, Federico Coria, 69º, e os duplistas Horacio Zeballos, 5º, e Maximo Gonzalez, 24º. Já a Rep. Tcheca é comandada por Jarosçav Navratil, que escalou a equipe com a promessa Jiri Lehecka, 94º, Tomas Machac, 131º, Zdenek Kolar,141º, e Vit Kopriva, 168º.

Coreia do Sul x Áustria

A Coreia do Sul,27ª, recebe pela primeira vez a equipe da Áustria, 16ª, em uma disputa da Copa Davis. Para o confronto, o país asiático escolheu o piso rápido coberto e o capitão Seung-Kyu Park escalou o time da casa com Soonwoo Kwon, 65º da ATP, Jisung Nam, 462º, Seong Chan Hong, 571º, e Minkyu Song, 1306º.

Os visitantes, comandados por Jurgen Melzer, não terá seu principal nome, Dominic Thiem, que está se recuperando de lesão. Melzer escalou a Áustria com Dennis Novak, 143º, Jurij Rodionov, 194º, Lucas Miedler, 310º, e Alexander Erler, 352º.

banner
banner