X

Perfil Ricardo Mello

Quinta, 14 de dezembro 2006 às 18:00:00 AMT

Link Curto:

Ricardo Mello - Floripa
Data Nascimento: 21/12/1980
Local Nascimento: Campinas, Brasil
Onde Mora: Campinas, Brasil
Altura: 1,75 m
Peso: 66 kg
Empunhadura: Canhoto
Profissional desde: 1999
Técnico: Carlos Albano


Melhor ranking: 50º (25/07/2005)

Melhor ranking de duplas: 118º (11/07/2005)

Carreira:

Desempenho Nível ATP: 60 vitórias, 94 derrotas
Títulos Simples: 1 (Delray Beach, 2004)
Títulos Duplas: -
Premiação Total: $1,484,044

Temporada 2012:

8 jogos - 2 vitórias, 6 derrotas

Títulos (0): -
Finais (0): -
Semis (0): -


Temporada 2011:

52 jogos - 33 vitórias, 19 derrotas

Títulos (3): CH de São Paulo (BRA), CH de Recife (BRA), S.J. Rio Preto (BRA)
Finais (0): -
Semis (3): Brasil Open, CH de Santos (BRA), CH de Campos do Jordão (BRA)


Temporada 2010:

53 jogos - 35 vitórias, 18 derrotas

Titulos (2): Challenger de São Paulo (BRA), Salvador (BRA)
Finais (2): Challenger de Curitiba (BRA), Campos do Jordão (BRA)
Semi (1): Costa do Sauipe (BRA)

Resultados Mello em 2010 Temporada 2009

56 jogos - 34 vitórias e 22 derrotas

Títulos: São Paulo e Brasília
Semis: Bogotá
Quartas-de-final: Bogotá e Campos do Jordão

Resultados Mello 2009

Temporada 2008:

45 jogos - 24 vitórias / 21 derrotas

Melhores Resultados:

Final: Leon e Manta
Semis: Florianópolis e Miami
Quartas: Nova Delhi, Bogotá e Bogotá

Temporada 2007:

Simples

40 jogos - 14 vitórias 26 derrotas

Quartas: 3 (Lugano, Cidade do México e Quito)

Duplas:

Semis: 2 (São Paulo, Salinas)

Resultados 2007

Ricardo Mello joga tênis desde os 6 anos de idade. Ele começou a praticar em sua cidade-natal Campinas. Bastante reservado, o campineiro recebeu um apelido carinhoso, mas irônico, de seus amigos: papagaio. Mello tem um irmão que também é tenista, cujo nome é Henrique. Os dois já atuaram juntos em duplas algumas vezes.

Mello tem um estilo de jogo de bastante paciência nas trocas de bola e com alguma agressividade em seu forehand. O seu estilo estreou no circuito em 1996, quando perdeu na estréia do Challenger de Campinas para Guga. Desde então, ele ficou bastante tempo rankeado entre os 200 do mundo, até o ano de 2004, quando sua carreira deu uma reviravolta.

Logo após o US Open, Ricardo Mello entrou com azarão no ATP de Delray Beach, disputado em quadras rápidas. Mas com vitórias sobre Mardy Fish, Mario Ancic e Vincent Spadea na final, ele faturou seu único título de nível ATP. Logo após sua volta ao Brasil, um episódio inusitado ocorreu na alfândega do país: ele foi parado por algumas horas justamente por portar seis raquetes.

No início de 2005, Mello era a principal atração do Brasil Open, que pela primeira vez não contaria com Gustavo Kuerten. E ele não decepcionou: venceu três partidas e alcançou a semifinal. Nesta fase, ele enfrentou um ainda ascendente Rafael Nadal. Em partida duríssima, o brasileiro chegou a ter uma quebra de vantagem no set decisivo, mas levou a virada e foi eliminado. Na seqüência da temporada, o espanhol não só levou o título na Costa da Sauípe, como ficou com os troféus dos Masters Series de Monte Carlo, Roma e de Roland Garros.

O bom início do ano de 2005, levou o paulista a 50ª colocação do ranking em julho, sua melhor na carreira. Logo depois, entretanto, ele teve uma queda acentuada de rendimento e terminou o ano como o segundo melhor do país, atrás de Marcos Daniel. Mello luta atualmente para voltar a ocupar uma vaga entre os 100, que deixou escapar.