X

Retrospectiva: 100 vezes Roger Federer. O surgimento de Andreescu

Sexta, 13 de dezembro 2019 às 14:00:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Marden Diller - Nos meses de março e abril os circuitos masculino e feminino desembarcaram de volta nas Américas, para a disputa de uma rápida gira de grandes torneios em quadras rápidas.



100 Vezes Roger Federer

 

O mês de março começou com um grande recorde sendo batido já em seu segundo dia. Com a conquista no ATP 500 de Dubai, o suíço Roger Federer tornou-se o segundo tenista na era aberta a conquistar 100 títulos em nível ATP. Em Acapulco, após uma grande campanha, Nick Kyrgios ficou com título ao derrotar Alexander Zverev na decisão. Fechando a semana, o argentino Guido Pella ergueu seu primeiro troféu da carreira na última edição do Brasil Open, em São Paulo.

Vindo da primeira cirurgia no quadril, em janeiro, Andy Murray dava bons sinais de recuperação e cogitava retorno ao circuito. Enquanto isso, mais três jogadores foram pegos em um esquema de manipulação de resultados e, neste caso, presos por forças de segurança belgas.

 

Polêmicas e mudanças na ATP

 

Já na ATP, era anunciado o fim da era Chris Kermode e sua saída do cargo de presidente da entidade. O movimento despertou a insatisfação de muitos ex-tenistas, como Lleyton Hewitt, Magnus Norman e Tomas Johansson, que se manifestaram publicamente contra a entidade. Junto à mudança na direção, a ATP anunciou também novidades para o calendário em 2020.

 

Novidades no Brasil

 

De olho no futuro, São Paulo sediou a seletiva do E-Games de Roland Garros. Com vida incerta, transmissão do circuito WTA no Brasil muda de mãos e vai exclusivamente para a internet. Ainda nas relações ao Brasil, Jaime Oncins foi apresentado como novo capitão da equipe da Copa Davis, substituindo João Zwetsch.

 

Destino: Indian Wells

 

Em Indian Wells, o jovem canadense Felix Auger-Aliassime conquistava sua primeira vitória sobre um top 10, aparecendo ainda mais para o mundo. Casa de ferreiro, espeto de pau: Roger Federer revela que seus filhos batem o backhand com duas mãos. Ainda sem voltar ao circuito, Del Potro buscava recuperação de sua lesão no joelho e já não descartava a possibilidade de cirurgia. Enquanto o espanhol Rafael Nadal abria o jogo sobre sua preocupação com a construção de seu calendário e suas lesões, seu parceiro na conquista do Ouro Olímpico na Rio 2016, Marc Lopez, enfrentava uma acusação séria de corrupção no esporte, sendo investigado pela polícia espanhola.

Poucos dias após ressaltar sua preocupação com o físico, Rafael Nadal solta um sinal de alerta, e em seguida desiste da disputa da semifinal do primeiro Masters 1000 da temporada contra Roger Federer. Foi apenas o 5º W.O. da carreira do espanhol, que também possui um número baixíssimo de desistências no piso. Posteriormente, o espanhol também desistiu de disputar o Masters 1000 de Miami.

 

Finais históricas no deserto da Califórnia

 

Com apenas 18 anos de idade e iniciando a temporada fora das 150 melhores do ranking, a canadense Bianca Andreescu teve o fim perfeito para o grande torneio que fez, superando nomes como Elina Svitolina e a alemã Angelique Kerber, na decisão, para conquistar o primeiro título de sua carreira no WTA Premier de Indian Wells.

Na chave masculina, outra redenção. Taxado como jogador apenas de quadras de saibro, o austríaco Dominic Thiem mostrou que o trabalho feito ao lado do chileno Nicolas Massu já surtia efeito e derrotou o suíço Roger Federer na grande final para erguer seu primeiro título de Masters 1000, justamente em uma quadra dura.

 

Pausa para ações de caridade no circuito

 

Em Miami para a disputa do torneio misto — Masters 1000 e WTA Premier — que teve casa nova em 2019, os tenistas aproveitaram para fazer alguns trabalhos de caridade. Enquanto o alemão Alexander Zverev adotou um novo amigo para seu cachorrinho Lovik, David Ferrer, Garbine Muguruza e outros prepararam e serviram refeições para pessoas carentes.

 

Tênis no Hard Rock Stadium pela primeira vez

 

De casa nova, agora no Hard Rock Stadium, casa do time de futebol americano Miami Dolphins, o Masters 1000 e o WTA Premier de Miami começaram pegando fogo, com a primeira vitória em um torneio deste nível da norte-americana Coco Gauff, de apenas 15 anos.

Campeão em Indian Wells, Dominic Thiem vacilou e deu adeus ainda na primeira rodada no Masters 1000 de Miami. A zebra, pelo visto, também acometeu a campeã da chave feminina, Bianca Andreescu, que sofreu uma lesão e precisou abandonar o torneio ainda nas oitavas de final.

 

101 vezes Roger Federer e o título de Ashleigh Barty

 

Após a derrota na decisão de Indian Wells, o suíço Roger Federer não esteve disposto a deixar essa conquista escapar e acabou superando o norte-americano John Isner, que defendia o título, para sagrar-se campeão do Masters 1000 de Miami.

Dentre as mulheres, a australiana Ashleigh Barty reencontrou seu prumo e deu o primeiro passo da melhor temporada de sua carreira, até então, ao conquistar o título derrotando a tcheca Karolina Pliskova.

 

Novidades para 2020 na ATP e a surpresa de Thiem

 

Com a edição inaugural da ATP Cup programada para janeiro de 2020, uma das mais tradicionais competições do início da temporada, a Hopman Cup, chegou ao fim e sua casa será sede de etapas da nova competição entre nações. Em outro torneio entre nações, o austríaco Dominic Thiem surpreendeu o mundo tênis ao anunciar que não disputaria os Jogos Olímpicos de Tóquio — assim como fez na Rio 2016.

A ITF também desenhou algumas alterações no formato da disputa do torneio Olímpico para Tóquio 2020, como o fim dos cinco sets na final e novidades para a chave de duplas

 

Brasil no foco no intervalo entre Masters

 

Enquanto o circuito masculino saía de Miami e se dirigia para Monte Carlo para a disputa de mais um Masters 1000, o Brasil esteve nos holofotes em dois momentos. O primeiro foi com a vitória maiúsucla de Thomaz Bellucci na chave de duplas no torneio da série Challenger de Alicante, na Espanha.

Em outro momento, numa situação nada feliz para o esporte no país, o paulista João Souza, o Feijão, foi suspenso provisoriamente pela ITF, suspeito de envolvimento com manipulação de apostas. No entanto, poucos dias depois, a entidade voltou atrás e revogou a suspensão do brasileiro.

 

Últimos WTAs na América

 

Com os próximos meses todos focados nos grandes torneios da Europa, as meninas da WTA disputaram os últimos eventos no continente americano. Jogando em casa, a norte-americana Madison Keys pôs fim a um jejum de quase dois anos e foi campeã em Charleston, superando Caroline Wozniacki na decisão. Já em Monterrey, Garbiñe Muguruza foi favorecida pela desistência de Victoria Azarenka e ficou com o bicampeonato após um set e meio de disputa.