X

Retrospectiva: O choro e a dor de um campeão. Novas caras conquistam espaço

Quinta, 12 de dezembro 2019 às 16:25:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Ariane Ferreira - Como habitual, a temporada de tênis começou com o calor da Oceania em destaque, tendo o jovem Stefanos Tsitsipas como o grande destaque do primeiro Grand Slam do ano e o escocês Andy Murray compartilhando com o mundo seu drama.



A temporada começou com os títulos de Kei Nishikori em Brisbane, seu primeiro ATP em dois anos. Já o sul-africano Kevin Anderson foi campeão em Pune em final com duelo de gigantes. Já o espanhol Roberto Bautista Agut bateu o tcheco Tomas Berdych e ficou com título em Doha. Esta acabou sendo a última final ATP da carreira de Berdych. O norte-americano Tennys Sandgren ergueu seu 1º título ATP da carreira em Auckland. O australiano Alex De Minaur, também estreou como campeão em nível ATP, com o título em Sidney, aos 19 anos. Entre os brasileiros, o gaúcho Marcelo Demoliner, abriu a temporada com título no Challenger de Camberra. Já o mineiro Bruno Soares conquistou o bicampeonato em Sidney, ao lado do escocês Jamie Murray.

No feminino, a bielorrussa Aryna Sabalenka foi a primeira campeã do ano, com título em Shenzhen. A tcheca Karolina Pliskova foi bicampeã em Brisbane. Enquanto a jovem Bianca Andreescu surpreendeu e foi vice em Auckland ao ser derrotada pela alemã Julia Goerges. De virada, sobre a local Ashleigh Barty, a tcheca Petra Kvitova conquistou o título em Sidney. A norte-americana Sofia Kenin iniciou a melhor temporada de sua carreira com título em Hobart, tendo aplicado pneu na final.

Na última edição do tradicional torneio exibição mista, Copa Hopman, onde a norte -americana Serena Williams enfrentou pela primeira vez na carreira o suíço Roger Federer, a quem resumiu após a partida como 'O maior de todos os tempos'. No final, o suíço despachou o alemão Alexander Zverev e na duplas mistas garantiu o bicampeonato a Suíça.

Australian Open: o choro de um campeão

O ano seguiu e foi dado início ao primeiro Grand Slam da temporada, o Australian Open, e nele muita história foi escrita. Uma das mais lembradas é a do escocês Andy Murray, cinco vezes vice-campeão do Australian Open, que caiu na primeira rodada após lutar por 4h com o espanhol Roberto Bautista Agut. Após a derrota, Murray acenou com a possibilidade de aposentadoria. Dias depois, o escocês não segurou as lágrimas ao anunciar que planejava se aposentar em Wimbledon. 

 

 

A notícia pegou imprensa, fãs, ex-tenistas e membros dos circuitos de surpresa e tocado de grande emoção, o mundo do tênis lamentou o anuncio de Murray. Em menos de 20 dias após o anuncio de aposentadoria, o escocês foi submetido a cirurgia no quadril e foi paparicado pelo suíço Stan Wawrinka

 

História sendo escrita em Melbourne 

O grego Stefanos Tsitsipas e a compatriota Maria Sakkari registraram história para o país já na primeira semana do Australian Open. Além disso, Tsitsipas fez história e bateu recordes no circuito profissional ao chegar à semifinal. No caminho até lá, realizou o sonho de bater Federer e ficou diante do espanhol Rafael Nadal, a quem considerava tão imbatível que questionou o fato de Federer o vencer mais de 10 vezes.

Durante o torneio, o Federer viralizou ao ser barrado sem credencial na sala dos jogadores e respeitar a decisão do segurança em Melbourne (reveja o vídeo). Já britânico Daniel Evans fez um ponto de outro mundo (reveja). Zverev, por sua vez, teve um ataque de fúria e repetiu imagem icônica de Marcos Bagdhatis destruindo várias raquetes (reveja).  A ucraniana Elina Svitolina confirmou rumores de que estaria namorando o francês Gael Monfils.

O torneio feminino do Australian Open foi o primeiro em quase 10 anos sem ter zebras. Ali, a número 1 do Brasil Beatriz Haddad Maia furou o quali e caiu na segunda rodada diante da alemã Angelique Kerber. Já a russa Maria Sharapova deu esperanças aos fãs ao superar a então atual campeã em Melbourne, a dinamarquesa Caroline Wozniacki. Karolina Pliskova salvou quatro match-points, bateu Serena e foi à semifinal, onde acabou derrotada pela japonesa Naomi Osaka, que ficou com título e o número 1 do mundo ao vencer Kvitova em jogo dramático. A japonesa, de 21 anos, entrou para a lista das 50 maiores jogadoras da história em premiação.

Ainda no feminino, a chinesa Shuai Zhang foi campeã ao lado da melhor amiga, a australiana Samantha Stosur, que a impediu de se aposentar.

No masculino, apesar da grande campanha de Bautista Agut, que ficou nas quartas diante de Tsitsipas, que fez outra grande campanha, a final foi um atropelo do sérvio Novak Djokovic no espanhol Rafael Nadal. Após a final, a lenda australiana Rod Laver apostou que Djokovic terá todos os recordes de Slams ao fim da carreira. Nas duplas, os franceses Pierre Hugues Herbert e Nicolas Mahut conquistaram o título e fecharam o Grand Slam. Na campanha, a dupla formada pelo argentino Leonardo Mayer e o português João Sousa, que fez história para seu país.

O brasileiro com melhor participação em Melbourne foi Soares, que ficou na semifinal das duplas mistas.

Fevereiro de novas caras

No feminino, a ucraniana Dayana Yastremska, que fez oitavas em Melbourne, conquistou seu segundo WTA em Huan Hin. Enquanto em São Petersburgo, a letã Jelena Ostapenko venceu um jogo maluco na estreia e viu a holandesa Kiki Bertens ser campeã do torneio. A belga Elise Mertens virou sobre a romena Simona Halep e ergueu seu maior título da carreira em Doha. Já a suíça Belinda Bencic bateu Kvitova e foi campeã em Dubai. Após título, a suíça recordou que salvou seis match-points em um único jogo em sua campanha. Em Budapeste, a belga Alison Van Uytvanck bateu a então surpresa Marketa Vondrousova e foi bicampeã

No inicio de fevereiro foi disputado os primeiros playoffs do Grupo Mundial da Copa Davis e o Brasil, em Uberlândia, acabou derrotado pelo time B da Bélgica (relembre). João Zwetsch se disse surpreso com a eliminação. Na sequência, foi demitido. Já a equipe feminina da Fed Cup, foi campeã do zonal ao bater o Paraguai e foi aos playoffs do Grupo Mundial II.

Numa final local em Montpellier, Tsonga bateu Herbert e foi campeão pela primeira vez em dois anos. Em Sofia, o russo Daniil Medvedev conquistou seu quarto título em 13 meses. Na primeira edição do ATP de Córdoba, o local Juan Ignacio Londero ergueu seu primeiro ATP. Monfils teve uma semana forte, virou sobre Medvedev em um dos melhores jogos da temporada e ao bater Wawrinka ficou com título em Roterdã. Em Buenos Aires, o italiano Marco Cecchinato frustrou a torcida local, bateu Diego Schwartzman e foi campeão. No Rio de Janeiro, o sérvio Laslo Djere emocionou o mundo ao erguer sue primeiro ATP e dedicar aos pais já falecidos.

Protagonista de uma das maiores polêmica do ano, o argentino Marco Trungelitti conversou com exclusividade com o Tênis News sobre sua denúncia a respeito de uma máfia de corrupção no tênis.

Buscando voltar ao circuito após lesão no joelho, o argentino Juan Martín Del Potro faz treino aberto para milhares de fãs.

Fora das quadras, Serena brilhou ao lado da atriz Brooklyn Decker no programa de LL Cool J (relembre detalhes).