X

Os 10 jovens tenistas que brilharam na ATP em 2019

Sexta, 06 de dezembro 2019 às 17:30:00 AMT
Tênis Profissional

Por Ariane Ferreira - Após elaborar uma lista com as dez jogadoras de destaque na temporada, o Tênis News, traz a sua versão diante do circuito masculino. Alguns dos nomes aqui galgaram espaços às margens dos torneios ATP.



Vale ressaltar, que esta lista não tem uma ordem de colocação. No perfil de cada jogar, colocamos pontos importantes do ano e grandes resultados,

Emil Ruusuvori

Aos 20 anos o jovem finlandês apresentou uma grande evolução no decorrer do ano, que abriu como 385º do mundo e finalizou como 124º, num ganho significativo de 261 posições no ranking. Ruusuvuori, que chegou a ser 410º do mundo em maio, ganhou destaque na mídia especializada em setembro, quando surpreendeu o quarto do mundo o austríaco Dominic Thiem em partida válida pelo zonal da Copa Davis.

Porém, foi no segundo escalão do esporte que o nórdico brilhou. Em março conquistou o título do ITF 25 mil de Oslo, na Noruega, e mais um em Sunderland, na Inglaterra, para entrar de vez no circuito Challenger onde conquistou cinco títulos: Fergana, no Uzbequistão, Augsburg, na Alemanha, Mallorca, na Espanha, Glasgow, na Escócia, e Helsinque, na Finlândia. Todos em piso rápido.

 

Mikael Ymer

O sueco Mikael Ymer, de 21 anos, é o segundo nórdico da lista. O mais novo dos irmãos Ymer iniciou a temporada como 196º, chegou a sair do top 200 e fechou a temporada como 79º, num ganho se 117 colocações.

O jovem se destacou pelos resultados no circuito Challenger, que dá menos pontos aos jogadores, mas que diante da eficiência do sueco o fez somar pontos o suficiente para classificar-se ao ATP Finals Next Gen de Milão, na Itália. Ao todo, foram quatro títulos, que começou com Noumea, na Nova Caledônia na primeira semana do ano; Tampere, na Finlândia, em julho; Orleans e Mouilleron le Captif, na França. Além dos vice-campeonatos em Murcia, na Espanha, em Bordeaux, na França caindo para o então 32º do mundo, Lucas Pouille.

 

Soonwoo Kwon

Soonwoo Kwon, de 22 anos, é mais um jogador fruto do sistema de formação profissional da Coreia do Sul, que ganhou em 2019 151 colocações tendo aberto o ano como 239º do mundo e finalizado como 88º. O tenista programou-se para disputar o circuito Challenger da Ásia e no fim de fevereiro conquistou seu primeiro título no ano em Yokohama, no Japão. Nas semanas seguintes fez no mínimo quartas de final em todos os torneios e na última semana de abril foi campeão em casa no Challenger de Seul, Em junho, Kwon foi para a Europa tentar vaga nos Grand Slam, furou o quali de Wimbledon, mas ficou na estreia. No fim de julho foi ás quartas do ATP de Los Cabos, no México, tendo saído do qualifying em sua melhor campanha no ano.

Alexander Bublik

Aos 22 anos de idade, o jovem russo naturalizado cazaque, Alexander Bublik, viveu em 2019 a melhor temporada de sua carreira, tendo conquistado dois vice-campeonatos em nível ATP, Chengdu, na China, e Newport, nos Estados Unidos, respectivamente piso rápido coberto e grama. Além de três títulos em nível Challenger: Budapeste, na Hungria, Pau, na França, e Monterrey, no México.

Foram 109 posições ganhas na temporada. Bublik, que protagonizou um dos momentos mais fofos do ano ao brincar com um boleirinho durante uma parada de chuva, foi 46º do ranking e teve a marca de 73 aces em três partidas iniciais em Chengdu, um recorde no ano.

 

Miomir Kecmanovic

Aos 20 anos, o jovem sérvio encarou seu primeiro ano dentro do circuito ATP, abriu com furando o quali do ATP de Brisbane, na Austrália, e na semana seguinte barrou o brasileiro Thiago Monteiro na final do qualificatório do Australian Open. O ano seguiu, e o jovem surpreendeu ao entrar na chave do Masters de Indian Wells como lucky-loser e chegar às quartas de final. 

Com os pontos somados, o tenista solidificou-se na elite do esporte, engatou uma sequência de quedas nas segunda-rodadas dos torneios até chegar à final na grama de Antalya, na Turquia, sua primeira final ATP da carreira. No piso rápido de Cincinnati furou o quali e fez oitavas de final, encarou três rodadas consecutivas em primeira rodada em setembro e finalizou o ano fazendo semifinal no ATP Finals Next Gen de Milão. 

 

Cristian Garin

Aos 23 anos de idade, o chileno Cristian Garin consolidou-se dentro do circuito ATP e com números de destaque, como fato de ser o jogador que mais venceu jogos em alto nível na comparação 2018-2019.

Garin abriu a temporada como 86º do mundo e finalizou consolidado no top 33, tendo subido 53 posições. O chileno conquistou no ano dois títulos em nível ATP e outros dois vice-campeonatos. Sua primeira grande campanha foi o vice no Brasil Open, no início de abril ergueu seu primeiro troféu no saibro de Houston, nos Estados Unidos, e Munique, na Alemanha, já em maio. Entre julho e agosto, Garin engatou uma sequência negativa de seis derrotas consecutivas, mas se recuperou e chegou  a fazer quartas de final no Masters de Paris-Bercy.

 

Jannik Sinner

Uma das maiores promessas do tênis italiano, aos 18 anos Jannik Sinner protagonizou uma das maiores escaladas de ranking do ano com ganho de 475 posições em comparação ao início da temporada, quando era 553º do mundo e finalizou como 78º.

Neste caminho, Sinner conquistou o Challenger de Bergamo e os ITFs US$ 25 mil de Trento e Santa Margherita Di Pula, todos na Itália, consecutivamente entre o fim de fevereiro e o meio de março. arriscando o calendário furou o quali do ATP de Budapeste, onde fez oitavas de final, e na semana seguinte ficou com o vice do tradicional Challenger de Ostrava, na República Tcheca. Após a temporada na grama, mais um troféu em nível Challenger em Lexington, nos Estados Unidos e a surpreendente semifinal no ATp da Antuérpia, que jogou como convidado e por fim o título no ATP Finals de Milão.

Felix Auger Aliassime

Aos 19 anos, o canadense Felix Auger Aliassime viveu uma temporada de firmamento no circuito ATP e escalou 85 posições na temporada que finalizou como 21º do mundo. Após tentar quali do Australian Open e alguns torneios Challenger, o canadense arriscou-se na gira sul-americana do saibro partindo de Buenos Aires, fazendo final do ATP 500 do Rio de Janeiro e chegando as quartas de final em São Paulo.

As performances deram confiança ao jovem que  com convite para Indian Wells fez oitavas e chegou na semifinal no Masters de Miami saindo do qualificatório. Em junho, Aliassime ficou com os vice-campeonatos de Lyon, na França, e Stuttgart, na Alemanha, e ainda fez semi no tradicional ATP 500 de Queen's.

 

Hugo Dellien

O boliviano Hugo Dellien teve uma ascensão discreta na temporada, entretanto conquistou 45 postos no ranking da ATP, saindo de 123º para 79º, e já é o segundo maior tenista da história do seu país. Aos 26 anos, o atleta, que chegou a abandonar o esporte para tocar a própria empresa de fabricação de gelo, chamou a atenção do mundo do tênis ao chegar às quartas de final após furar o quali do Rio Open, teve o mesmo resultado no Brasil Open e na sequência conquistou o título do Challenger de Santiago. Na temporada, o boliviano ainda conquistou o título do Challenger de Milão, na Itália, e ficou com o vice em Guayaquil, no Equador.

 

Casper Ruud

Conhecido do público brasileiro desde que brilhou no Rio Open de 2017 aos 18 anos, o norueguês Casper Ruud é o terceiro nórdico de nossa lista. Em 2019, o tenista subiu 57 posições e saiu de 111º para firmar-se como 54º.

A primeira grande campanha do ano, foi no Rio Open, onde fez quartas de final, e na sequência fez semi em São Paulo. Em abril, foi vice-campeão de Houston e em julho fez semifinal no saibro austríaco de Kitzbuhel e mesclou o calendário com alguns challengers para somar pontos.