X

Sérvios estão descontentes: 'Djokovic insulta os fãs ao contratar Ivanisevic'

Sexta, 05 de julho 2019 às 07:35:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

A agência de notícias Associated Press reporta que parte da Sérvia está insatisfeita com o fato do número 1 do mundo, Novak Djokovic, ter contratado o croata Goran Ivanisevic para ser seu 'treinador especial' durante Wimbledon.



Sérvia e Croácia faziam parte da Iugoslávia e tornaram-se plenamente independente uma da outra, o governo central iugoslavo era de comando sérvio, após uma sangrenta guerra nos anos de 1990, que inclusive gerou a dependência de outros países como Montenegro, Bósnia e Herzegovina, Macedônia e Eslovênia. Além da tensão social e política com Kosovo, que ainda pertence a Sérvia e busca por sua independência desde então.

E na visão do atual governo sérvio, de base ultranacionalista, a escolha de Djokovic, que tem a mãe croata, por Ivanisevic é "escandalosa", como reporta um dos principais jornais do país, que apoia Belgrado, o Informer.

A Agência de Notícias recorda que desde a Copa do Mundo de Futebol da Rússia em 2018, quando Djokovic disse que torceria pelo título da Croácia após a eliminação da Sérvia, o clima no governo, seus compatriotas e Djokovic tem ficado cada vez pior.

O jornal sérvio ouviu o ex-jogador de basquete, astro da NBA e do Boston Celtics, Darko Milicic, que classificou como "um insulto aos fãs" por parte de Djokovic a contratação de Ivanisevic. Milicic vai ainda mais longe e acusa Djokovic de ter "explosões de amores pela Croácia" e que nestes momentos ele deveria pensar em seus fãs sérvios que "que passaram por perseguição, expulsões e perda de seus entes queridos durante a guerra".

Em Londres, Djokovic falou por mais de uma oportunidade a respeito do trabalho de Ivanisevic, que está em fase de teste para auxiliar o eslovaco Marjan Vajda, seu treinado há mais de uma década, e em mais de uma vez citou o quanto cresceu admirando o campeão de Wimbledon em 2001.

"Goran é croata, eu sou da Sérvia. Nós dois viemos de um país que era um só chamado Iugoslávia. Quando eu era pequeno e estava assistindo tênis. Eu o vi em um jogo contra [Pete] Sampras. Todo mundo na região estava torcendo por ele", recordou.

Em face a isso, a AP ainda pontua que a reportagem, publicada na versão impressa do Informer, traz a opinião contra-balanceada do presidente sérvio, ex-membro do partido ultranacionalista, Aleksandar Vucic: “É bom para nosso país que Novak Djokovic tenha boas relações com Ivanisevic para que os confrontos do passado sejam superados".

Apesar do tom apaziguador do presidente sérvio, o Informer pontua o descontentamento de membros do governo, alta cúpula militar e até na sociedade local com a escolha técnica de Nole.
O jornal, ainda segundo a Agência de Notícias, trouxe em suas páginas fotos de uma entrevista dada por Ivanisevic ao New York Times, durante o período da guerra, em que ele teria dito que desejava ter "alguns sérvios de frente pra mim" durante uma aula de prática de tiro.