X

'Feliz com a decisão', diz Kvitova, sobre a condenação do homem que a esfaqueou

Quarta, 27 de março 2019 às 12:29:13 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Mesmo eliminada nas quartas de final do WTA Premier de Miami, a tcheca Petra Kvitova tem motivos para comemorar. Na última terça-feira, o responsável por a esfaquear em 2016 foi condenado a oito anos de prisão. Ela falou da decisão e da recente derrota.



"Sim, fiquei sabendo disso pela manhã. Aceitei a notícia. Estou feliz com as novidades e estou feliz que tenha acabado isso agora", disse a vice-líder do ranking mundial.

Radim Zondra, de 33 anos, invadiu o apartamento da tenista há pouco mais de dois anos, dizendo que era um técnico e que iria olhar o aquecedor. Ele esfaqueou a mão de Petra, que teve vários tendões prejudicados e passou por cirurgias de reconstrução.

"Nunca estará 100%. Meu movimento não é ótimo. Esses dois dedos (polegar e indicador) também 'desapareceram'. Apenas faço o que posso. Às vezes, é claro, não é bom quando jogo tênis. Estou tentando o suficiente para compensar isso. Na verdade, nem sei como compensar. Apenas tento fazer com que não me atrapalhe tanto assim. Tenho a mesma raquete de antes. Realmente não mudei nada. Estou muito feliz que ainda esteja funcionando", explicou Kvitova, recentemente.

Sobre o revés na Flórida diante de Ashleigh Barty, que levou a melhor com 7/6(6) 3/6 6/2, a canhota elogiou a australiana, explicou suas dificuldades na partida e revelou que tirará um tempo para descansar.

"Ela adaptou seu jogo muito bem para compensar o meu estilo. Não me deu nada de graça. Seus golpes são incríveis, melhores que os de muitos homens. Foi difícil para mim respirar porque tenho asma, e sofro mais em ambientes úmidos como esse", disse.

"Preciso tirar alguns dias de folga antes de começar no saibro. Vou para casa e me desconectar do tênis por alguns dias, antes de viajar para Stuttgart, que será meu primeiro compromisso no saibro (a partir de 22 de abril)", finalizou.