X

Murray volta a ser operado do quadril em Londres

Terça, 29 de janeiro 2019 às 10:21:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O ex-número 1 do mundo, o escocês Andy Murray, que no inicio da temporada anunciou sua aposentadoria, planejada para ser em julho em Wimbledon em virtude das fortes dores no quadril que sofre, voltou a ser submetido a uma cirurgia na região.



De acordo com a BBC, Murray foi operado do quadril nesta segunda-feira em Londres.

Esta é a segunda operação a qual se submete o bicampeão de Wimbledon na região do quadril. Em janeiro de 2018, Murray esteve sob cuidados de um dos maiores especialistas em quadril do mundo, e foi operado em Sidney, na Austrália, para a colocação de uma prótese.

A BBC ouviu o consultor de cirurgias e diretor clínico de uma clínica em Manchester especializada em quadril, Max Fehily, para entender o processo cirúrgico. segundo Fehily, a cirurgia consiste em "alisar a a camada e na sequência encaixar uma placa metálica na região pélvica".

Segundo o diretor clínico, entre 90 e 95% das pessoas que são submetidas a este procedimento vivem uma vida praticamente normal e sem dor.

Murray quer diminuir suas dores

O bicampeão olímpico, comentou aos jornalistas em Melbourne na coletiva em que anunciou sua decisão pela aposentadoria, de que sentia muitas dores e dores muito constantes. Andy Murray ainda ressaltou que planejava encerrar a carreira em Wimbledon, porém, se a dor persistisse o Australian Open seria seu último torneio.

Após a batalha de cinco sets que perdeu do espanhol Roberto Bautista Agut na primeira rodada em Melbourne, Murray concedeu uma entrevista à rádio BBC 5 e deu a entender que pretendia mesmo operar o quadril, mesmo colocando em risco o desejo de se aposentar na grama sagrada.

"No entanto, há uma forte possibilidade de eu não voltar e jogar depois de uma operação. Quero jogar tênis, mas não com o quadril que tenho agora", disse ele pontuando que a operação seria para a melhoria de sua "qualidade de vida". "Apenas passear com meus cachorros, jogar futebol com meus amigos, é a pior coisa que posso pensar em fazer", relatou.

"Eu odeio isso porque é dolorido e desconfortável. Esperando por outros cinco ou seis meses para fazer algo assim é só mais um período onde estou realmente desconfortável", confessou o escocês.

Em julho de 2018, o duplista norte-americano Bob Bryan se submeteu a mesmíssima cirurgia de Murray ontem e já está de volta ás quadras competindo. O processo do norte-americano estar apto a um jogo em alto nível foi de cinco meses de recuperação.