X

Alunos de projetos sociais serão boleiros no ATP Finals

Segunda, 05 de novembro 2018 às 16:05:24 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

O Rio Open dará mais uma oportunidade única para alunos de projetos sociais de tênis no Rio de Janeiro. A Fedex levará dois jovens das iniciativas apoiadas pelo maior torneio de tênis da América do Sul para serem boleiros no ATP Finals de Londres.



Guilherme Rodrigues Fernandes, 14 anos, do projeto Futuro Bom e Vitória Almeida, também de 14 anos, do projeto Tênis na Lagoa, se juntam a uma seleta equipe de 26 boleiros, que terão a chance de pegar bolas em jogos de lendas do tênis, como Rafael Nadal, Roger Federer e Novak Djokovic.

A adolescente que participa do projeto às margens da Lagoa Rodrigo de Freitas, vizinha ao Jockey Clube, onde acontece o Rio Open, revela o momento em que soube do convite. "Eu estava voltando da IMG Academy e soube pelo meu pai que tinha sido escolhida para boleirar no ATP Finals. Fiquei em choque, mal tinha acabado de viver algo tão incrível nos EUA e já tinha outra grande oportunidade na minha vida, graças ao Rio Open. Mas, apesar da felicidade, eu sei do peso desta função. O boleiro tem que ser muito comprometido, não pode se deixar abalar pelo calor do jogo e tem que se manter concentrado 100% do tempo. Vai ser uma experiência inesquecível. Algo que nunca sonhei na minha vida", comenta Vitória, campeã da categoria 16 anos do Winners deste ano.

Guilherme, morador do Vidigal, na zona sul carioca, se disse surpreso pelo convite. "No início eu não sabia que iria boleirar, mesmo assim fiquei todo bobo porque assistir de perto um torneio tão importante quanto o ATP Finals é demais. Daí, quando soube que iria boleirar, senti uma emoção que não cabia em mim. Ainda não tenho a dimensão do que vai ser estar lá. O Rio Open já é sempre a melhor semana do meu ano, estar no Finals então, vai ser mais do que um sonho", comentou o jovem carioca que já boleirou para o Fognini no Rio Open e sonha boleirar um jogo com algum top 10.

Além do Rio Open, somente o Masters 1000 de Xangai também indicará dois boleiros. Esta não é a primeira vez que o maior torneio de tênis da América do Sul é reconhecido por seus esforços sociais. A ATP já deu ao Rio Open o prêmio Aces for Charity, que destinou US$ 10 mil aos projetos parceiros.

Nos dois últimos anos, o Rio Open promoveu o Winners, torneio com alunos desses projetos, com premiações como uma semana de treinamento na IMG Academy, na Flórida, e participação na Copa Guga Kuerten, em Florianópolis. O torneio também mantém o NERO (Núcleo Esportivo Rio Open), que oferece aulas grátis para alunos de escola pública no Parque Olímpico, em parceria com a AGLO, Autoridade de Governança do Legado Olímpico.