X

Anderson vence epopeia de 6h35, a 4ª maior, e vai à final de Wimbledon

Sexta, 13 de julho 2018 às 15:50:22 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Uma batalha épica na quadra centrla do All England Club colocou o sul-africano Kevin Anderson, oitavo do mundo, em sua primeira final de Wimbledon na carreira. Em uma batalha de 6h35min, a quarta maior do tênis, terceira maior em jogos de simples, o sul-africano avançou à final.



Leia Mais:

Confira os jogos mais longos da história do tênis

 

Anderson superou o americano John Isner, décimo colocado, por 3 sets a 2 com parciais de 7/6 (8/6) 6/7 (7/5) 6/7 (11/9) 6/4 26/24. A partida se tornou a mais longa da quadra central do All England Club, a segunda maior do torneio perdendo apenas para a vitória do próprio Isner sobre o francês Nicolas Mahut em 2010 com 70/68 no quinto set com 11h05min de duração. Esta foi também a terceira maior partida em simples perdendo somente para o jogo Isner x Mahut e o duelo do brasileiro João Souza, o Feijão, e o argentino Leonardo Mayer na Copa Davis na Argentina em 2015 que durou 6h43min.

Anderson alcança sua segunda final de Grand Slam. Vice-campeão do US Open perdendo a final para Rafael Nadal ele vai tentar levantar o primeiro Major, mas terá que superar o desgaste físico uma vez que na quarta-feira venceu Roger Federer em 4h13min com 13/11 no quinto set. 

Isner, por sua vez, disputou sua primeira semifinal de Grand Slam, mas estabelece um recorde de aces em uma edição do torneio com 213 saques indefensáveis.

Kevin vai enfrentar Rafael Nadal ou Novak Djokovic na final de domingo prevista para 10h.

O jogo

Os dois primeiros sets foram parecidos com os saques prevalecendo e o tie-break bem encaminhado. No primeiro Isner parecia melhor no fundo e nas devoluções, mas Anderson conseguiu a vantagem e fechou. No segundo foi o contrário, quando Anderson tinha melhorado e dava mais trabalho nas trocas, Isner começou na frente, abriu 4 a 0 e fechou por 7/6 (7/5) após dar uma vacilada.

Anderson conseguiu uma quebra abrindo 4/3 no terceiro, mas Isner foi lá e igualou logo a seguir aproveitando nervos do africano. No tie-break muita disputa, Isner desperdiçou dois set-points, depois Anderson perdeu suas chances de o americano captalizou fechando por 7/6 (11/9). 

O quarto set teve Anderson conseguindo a quebra no finalzinho para definir e levar para o esperado quinto set.

Daí em diante foi o drama saque a saque e Anderson sempre um pouco melhor no físico e perdendo ao longo do set quatro break-points, a maioria com aces ou bons serviços de Isner. O americano diminuía sua potência no serviço, mas conseguia com inteligência levar o jogo sem fazer sombra nos serviços de Kevin. Ele teve por três vezes um 0/30 e conseguiu a quebra no 49º game abrindo 0/40 após um ponto onde caiu e bateu uma bola com a mão esquerda. Em seguida um winner e um erro de Isner para marcar 25 a 24. Anderson começou nervoso, errando voleio, mas controlou no saque e no fundo para fechar por 26 a 24 e mostrar poucas emoções, mais o cansaço. Os dois se abraçaram no fim.