X

Agassi revela ter recomendado cirurgia à Djokovic em 2017

Quarta, 04 de julho 2018 às 17:30:30 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Há pouco mais de um ano atrás, o mundo do tênis era surpreendido por uma parceria quase que improvável: Andre Agassi assumia o cargo de novo treinador de Novak Djokovic. O combinado durou pouco, mas o americano nutre um grande carinho pelo ex-pupilo.



“Não me dei conta da gravidade de seu problema no cotovelo até vê-lo passar por suas sessões de recuperação diárias após as partidas e ver os anti-inflamatórios que estava tomando. Nos reencontramos em agosto e reunimos os melhores médicos do mundo para que fossem a Toronto vê-lo. Minha opinião firme era de que deveria submeter-se a uma cirurgia em agosto para que pudéssemos estar preparados para a Austrália, mas ele acabou forçado a tomar essa decisão no final de janeiro. Ele tomou várias decisões que não o ajudavam a gerar confiança”.

“Seu cotovelo não o permitia regressar ao circuito, mas agora se ele seguir são o vejo competindo mais uns cinco anos. De uma perspectiva física, ele se move maravilhosamente. É um grande atleta, cuida de seu corpo, é sua maior prioridade, de modo que acredito que ele ainda tenha muito tempo pela frente. Temos conversado por mensagens de texto. Apenas tenho os melhores desejos e sentimentos por Novak”.

Sobre seu futuro como treinador, o americano considera que pode voltar a treinar, tendo aprendido que ser treinador vai muito além de oferecer uma assessoria técnica. “Recebo muitas propostas e ligações. Não diria que Novak me desiludiu, mas me permitiu enxergar que há muito mais no treinamento do que apenas compartilhar conhecimento. Realmente é preciso construir uma confiança, isso é o que esperava que tivesse acontecido durante os nove meses que trabalhamos. Mas cada pessoa é diferente e cada história é diferente, de modo que me mantenho aberto a participar do dia a dia de um jogador para fazer a diferença. Nole não era um trabalho para mim e tampouco seria no futuro, mas isso não significa que não tenha me inspirado a querer ajudar alguém”.