X

ITF aplica sanção a patrocinador do Nº 1 do Beach Tennis: 'Conotação degradante'

Quarta, 18 de abril 2018 às 18:50:13 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional

Por Marden Diller e Fabrizio Gallas - A Sexy, empresa italiana que patrocina os dois líderes do ranking mundial de Beach Tennis, protocolou no último dia 9 na internet uma petição contra a Federação Internacional de Tênis (ITF) que regula o esporte.



A ITF vem impedindo há dois anos que a marca patrocine torneios do circuito Beach Tennis, mas também de que inclua seus produtos nos torneios organizados pela entidade. De acordo com a Sexy, inclusive a bola chama "S" não pode circular no mercado durante os eventos. A bola tinha o nome de Sexy e mudou para "S" para evitar a sanção, mas segue proibida.

A empresa pede a assinatura de uma petição que será levada para que ITF reveja o caso através do link https://www.gopetition.com/petitions/acceptance-of-sexy-brand-as-part-of-the-international-tennis-federation.html

O Tênis News entrou em contato com a Federação Internacional de Tênis que enviou um comunicado por e-mail explicando a sanção:

"De acordo com as regras do Circuito ITF de Beach Tennis, a Federação Internacional de Tênis tem o direito de proibir o patrocínio de qualquer produto ou empresa que deteriora o tênis. A ITF considera que a palavra 'SEXY' tem conotações degradantes e negativas incluindo a provocação da natureza sexual e prejudica a busca da igualdade na representação de gênero no esporte. Por esta razão, é inaceitável para a ITF, particularmente em um esporte que inclui menores", disse a entidade.

A empresa SEXY patrocina outros grandes nomes do esporte como Alessandro Calbucci, tetracampeão mundial e um dos maiores vencedores do esporte, que mostrou uma posição bastante ríspida e contrária à postura adotada pela ITF.

“A questão do banimento da marca Sexy é um assunto muito delicado, tanto filosoficamente quanto praticamente para nosso Beach Tennis.

A ITF é um órgão gestor conservador e controverso no Beach Tennis (no tênis também, mas o sucesso não está na ITF e sim na ATP e WTA). Em 2018, esta retórica do politicamente correto é ridícula e ultrapassada! Além disso, a busca pela igualdade de gênero quando a ITF está promovendo uma discriminação sistemática de jogadores homens é inaceitável. Quando falo isso, me refiro à premiação que não é a mesma! Homens jogam, pelo menos, duas rodadas a mais, um dia a mais, pagam todo seu equipamento e hospedagem e não recebem uma premiação proporcionalmente igual.

A segunda falta de senso é prática: “Em detrimento do esporte tênis” é exatamente o que acontece quando se bane uma marca que foi, talvez seja e ainda será uma grande impulsionadora do crescimento do esporte! “Sexy” pode realmente ser um adjetivo controverso: mas e o sucesso das bundas no vôlei de praia sendo transmitidas pela TV olímpica é sexy ou não?

Então eu acredito que seria inteligente, para o melhor do esporte, procurar por uma solução honesta”, declarou Calbucci em comunicado enviado ao Tênis News por mensagem de telefone.