X

Nadal vira e se vinga de Rosol em Wimbledon

Quinta, 26 de junho 2014 às 12:12:46 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Número 1 do mundo, Rafael Nadal esperou dois anos e exatamente na mesma rodada conseguiu a revanche diante do tcheco Lukas Rosol, atual 52º do mundo, para garantir vaga na terceira rodada do torneio de Wimbledon, torneio mais tradicional do tênis, jogado na grama londrina.

O espanhol, que havia perdido para o tcheco em 2012 na mesma fase e logo a seguir parou sete meses para tratar de lesão no joelho, saiu atrás, esteve perto de ficar com dois sets abaixo, mas se recuperou para fazer 3 sets a 1 com parciais de 4/6 7/6 (8/6) 6/4 6/4 após 2h44min de jogo. Foi o terceiro jogo entre os dois e Nadal lidera por 2 a 1.

Campeão de 2008 e 2010, Rafa passa pela primeira vez da segunda fase desde 2011 quando foi vice. Ele encara o cazaque Mikhail Kukushkin, 63º colocado, que superou o canadense Frank Dancevic por 3 sets a 0.

São dois jogos entre os dois e o natural de Manacor venceu ambos com facilidade, um no piso duro e outro no saibro.

O jogo

Os dois foram confirmando sem problemas no primeiro set até Rosol quebrar com forehand sem energia de Rafa na rede. Ele fez 5/4 e sacou muito bem para fechar por 6/4.

Na segunda etapa o tcheco fez um game perfeito com winners, quebrou, abriu 4/2, mas permitiu o empate em 4/4 após bela devolução e game do espanhol. No tie-break Rosol abriu 5 a 3, mas novamente Nadal reagiu, salvou um set-point com bom saque e winner e fechou com dupla-falta do tcheco por 7/6 (8/6).

Na terceira etapa Nadal conseguiu uma quebra logo no terceiro game após martelar, na quarta chance. Ele foi conduzindo bem no saque, salvando alguns 15/30 e games de 30/30 e com bons saques e aces no fim, definiu por 6/4.

Na quarta parcial Rosol não fez um bom início, foi logo quebrado no primeiro game e viu Nadal ir dominando o set até o último game muito nervoso. Lukas teve um break bem salvo com winner pelo espanhol. Nadal então desperdiçou dois match-points, um com erro de forehand e outro com bom voleio do tcheco. Na terceira chance um equívoco de Rosol sentenciou sua derrota e o líder do ranking vibrou como se tivesse ganho o título. Também pudera.

Foram 46 bolas vencedoras e onze erros não-forçados de Nadal no encontro.