X

Nadal ressalta emoção: 'Queria muito derrotá-lo'

Domingo, 08 de junho 2014 às 17:33:09 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Rafael Nadal, número 1 do mundo, não conseguiu esconder a emoção dentro de quadra ao receber pela nona vez o troféu de Roland Garros após a vitória sobre Novak Djokovic por 3/6 7/5 6/2 6/4 na decisão deste domingo. Em cerimônia da entrega dos prêmios ele comemorou.

"Agradeço a toda minha equope, sem eles isso seria impossível. Nos bons e maus momentos a família e minha equipe sempre estiveram comigo. Fizemos um grande trabalho e isso é a recompensa”, destacou o número 1 do mundo que ganha seu 14º Grand Slam.

“Lamento pelo Novak, é um prezeer e sempre um desafio enfrentá-lo, mas tenho certeza que um dia ele irá vencer aqui”.

Mais tarde, em coletiva de imprensa, Nadal contou o quanto queria conquistar seu nono título na França e derrotar o sérvio que o havia batido nas quatro vezes anteriores: “Estava tão forte. Queria muito derrotá-lo. Sofri bastante, mas achei as soluções. Quando tive problemas, consegui achar as soluções nos momentos difíceis. Tive sucesso, consegui ganhar a partida e o torneio”, disse Rafa que contou sobre o jogo e como foi importante vencer o segundo set onde abriu 5/2 e venceu por 7/5.

“Sabia como jogar contra ele. Precisava ir ao limite. Jogar agressivo. É sempre a mesma coisa. Jogar agressivo com esses golpes preciso estar confiante, sentir bem a bola. No segundo set a dinâmica da partida mudou. Consegui ser mais agressivo e fazer melhor as coisas. Foi muito importante ter vencido o segundo set, sem ele não estaria com o troféu agora”.

Perguntado sobre sua nona conquista em Paris– onde é o maior campeão -, feito de ser o primeiro pentacampeão consecutivo do evento e seu 14º Grand Slam, feito que o deixa empatado ao americano Pete Sampras e a apenas três de Roger Federer, Nadal novamente desconversou sobre seu papel na história: “Vamos ver como termino minha carreira com quantos Grand Slams ficarei ou se ganharei mais quatro, três ou cinco seguidos. É sempre o mesmo, pra mim o mais importante é ganhar Roland Garros”.