X

Sharapova diz viver sonho e destaca título emocionante

Sábado, 07 de junho 2014 às 13:52:12 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Maria Sharapova, número oito do mundo, só conseguiu segurar o choro, mas não conteve a emoção e falou bastante na cerimônia de entrega de troféus e na entrevista em quadra na vitória e o bicampeonato de Roland Garros conquistado na tarde deste sábado em Paris.

A russa venceu a romena Simona Halep, quarta colocada, por 2 sets a 1 com parciais de 6/4 6/7 (7/5) 6/4 na segunda final mais longa do torneio com 3h02min de duração.

“Foi a final mais dura de slam que já joguei, foi uma partida incrível. Nunca imaginei, é um sonho, esse torneio eu queria ganhar muito quando jovem, nunca imaginaria que ganharia uma vez, ainda mais depois de vencer a primeira não imaginava que poderia vencer de novo. É uma honra vencer esse torneio nessa cidade que é uma das mais bonitas do mundo”, celebrou a russa que nos agradecimentos fez questão de lembrar do staff técnico: “Gostaria de dividir esse troféu com vocês, obrigada por me fazerem me tornar forte e fazer conseguir deslizar nessa quadra de saibro e me ajudar com os problemas no ombro”.

A tenista também agradeceu o público: “Não sei em qual língua eu agradeço, agora estou muito emocionada que quero falar inglês, francês, russo e tudo. Tivemos muitos romenos aqui que fizeram uma festa incrível e russos também que me apoiaram. É para isso que eu acordo cedo e faço sacrifício todos os dias é para vocês”.

Mais tarde, em coletiva de imprensa, Sharapova destacou a importância do troféu: "Foi uma vitória tão emocionante em minha carreira. Estive em várias finais de Grand Slam e cada uma com sentimento diferente. Quanto mais velha fico mais aprecio essas situações. Quando terminoy, após partida tão emocionante, deixei tudo fluir. Realizei que ganhei outro Grand Slam e Roland Garros."

Ainda em coletiva, ela brincou quando perguntada sobre seu sucesso maior no Major francês: "Ficaria bêbada se me dissessem anteriormente que ganharia Roland Garros mais do que qualquer outro Grand Slam. Ou dizer a eles para ficarem bêbados (risos). Mas trabalhei para chegar aesta posição. Voce não pode chegar aqui sem trabalhar, sem esforço. Não se nasce sendo um jogador de saibro, a não ser que você seja o Nadal. Não cresci no saibro, não jogava aqui, só trabalhei para melhorar aqui. Não há ninguém mais para fazer isso por mim. Tive que trabalhar".