X

Teliana atinge melhor ranking e quer o top 100

Domingo, 24 de fevereiro 2013 às 19:33:51 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Teliana Pereira (CBT/Correios/Asics/Wilson) desembarcou neste domingo em Florianópolis (SC) e já iniciou os treinos nas quadras rápidas da Federação Catarinense para a disputa de mais um torneio WTA, o primeiro no Brasil após uma década e competição que distribui US$ 235 mil.

Foto: Cristiano Andujar / FotoArena

A pernambucana radicada no Paraná fez duas sessões de treinos, sendo duas horas no meio da tarde. Sua estreia na competição ocorre apenas na terça-feira, ainda com horário a definir, diante da alemã Tatjana Malek, 108ª colocada: "Eu estou preparada. Me senti bem, a quadra está bem lenta, isso é muito bom para mim, porque estou vindo de Bogotá, que é alto. Então não teve muita diferença. E eu tenho certeza que estarei 100%," disse a tenista que veio direto de Bogotá, Colômbia, sem dia de descanso, após furar o quali e atingir a semifinal em sua melhor semana da carreira.

"Foi uma semana muito incrível. Confesso que eu não fiz nada de diferente, continuei trabalhando e treinando, tudo o que eu já fazia há um bom tempo. Fiquei muito feliz. A primeira rodada foi um pouco tensa, foi um jogo duro, apesar do resultado. Depois com a Cornet, tanto eu quanto ela, a gente estava um pouco tensa, porque é difícil jogar em Bogotá pela altitude, mas no terceiro set eu consegui me soltar e isso fez a diferença. Foi uma bela campanha, eu acho que tenho de continuar trabalhando e tenho que continuar melhorando a cada dia e jogar mais esses torneios que acabo ganhando confiança", continuou.

Pela campanha, Teliana somou 146 pontos do ranking divulgado na noite deste domingo pela WTA, Associação das Tenistas Profissionais, e saltou 40 posições indo ao 116º posto, seu melhor desempenho. Mas a tenista de 24 anos quer uma vaga entre as cem melhores: "Na minha análise sim (estou no nível das tenistas top 100). Tenho muito que melhorar, ainda bem, porque quando você chega no nível em que você acha que não tem nada a melhorar, é preocupante. Claro que jogar ali com as top 20 e top 10, ainda preciso melhorar muito. Ainda não cheguei neste nível. Mas contra top 100 sim, tanto que em Bogotá eu ganhei de meninas top 100, e eu ja vinha jogando um tênis muito bom, mas a diferença é que ainda não estava jogando esses torneios. Então eu ganhava um (torneio) US$ 25 mil, mas não ganhava uma primeira rodada de WTA porque eu ainda não tinha dado uma sequência desses torneios”.