X

Armada espanhola celebra retorno de Nadal às quadras

Sexta, 22 de fevereiro 2013 às 20:22:39 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Ariane Ferreira - Duas semanas após o retorno oficial de Rafael Nadal. Os tenistas espanhóis que compõem a chave do ATP de Buenos Aires comemoraram a volta do natural de Manacor. ‘É uma alegria para o tênis’, resumiu o experiente Tommy Robredo.

Robredo, Nicolas Almagro, Albert Ramos, Daniel Gimeno-Traver, Guillermo Garcia López e Pablo Andújar, estiveram com Rafa em seu retorno, disputando os torneios em Viña Del Mar e São Paulo, os três últimos enfrentaram o compatriota e todos mostraram-se satisfeitos com a volta de Nadal.

Como em sua primeira entrevista coletiva em Buenos Aires, Robredo disse ao Tênis News que para o tênis ter Rafael de volta é uma alegria. “É uma lástima para todos jogadores, porque com ele na disputa fica mais difícil ganhar alguma coisa”, brincou. O natural de Hostalric fez questão de ressaltar que Rafa é um ícone do esporte: “ele movimenta massas, você viu em São Paulo, eu estava no Chile. Ele faz com que o tênis esteja no mais alto dos patamares dos esportes em todo o mundo”.

Pablo Andújar, que também esteve em São Paulo e chegou a enfrentar Rafa na partida de duplas, concorda com Tommy: “Ele move as pessoas, traz gente para as quadras, poucas vezes joguei para uma central lotada em um jogo que não fosse uma final ou em meu país. É ótimo para o tênis”.

Nicolas Almagro também exaltou o retorno de Rafael: “Ele é o número um do saibro, um dos maiores da história. Me deixa muito contente vê-lo voltar, não 100%, mas com a vontade em que está. Mais algumas semanas e estará totalmente recuperado”, opinou.

Guillermo Garcia-López e Daniel Gimeno-Traver, que jogaram contra Rafa em São Paulo duplas e na semifinal no Chile, respectivamente, dizem estar felizes por ter a convivência com Rafa de volta. “É um cara muito bacana, que faz falta aos amigos”, disse Garcia-López. “Estar diante da vontade e do trabalho dele dá alegria e inspira a gente. Ninguém é grande à toa”, opinou Gimeno-Traver.

Apesar da alegria da volta de Nadal após sete meses, os tenistas pregam cautela. Robredo, que em fevereiro de 2012 se submeteu a uma cirurgia no joelho e também ficou quase seis meses fora das quadras, pondera: “Eu o vi normal, não foi excelente, mas não foi tão mal. Depois de estar seis ou sete meses parado é lógico que não volte 100%, mas ele está com vontade. Não sei se estava fisicamente 100%. Então, é preciso tempo”.

Tommy destaca o nível de Rafa: “Fazer uma final e ganha outra na semana seguinte, nas condições que foram em um torneio difícil, mostra que é um jogador de outro nível”.

David Ferrer, atual número um da Espanha e quatro do mundo, está feliz com a volta do amigo: "Vejo com bons olhos o retorno de Rafael. Ele chegou a duas finais e ainda foi campeão. É bom tê-lo de volta, é o maior da história da Espanha e um dos maiores do mundo. Fez a final em Viña e ganhou no Brasil que me pareceu um torneio mais difícil. Rafa está de volta e cada dia estará melhor, em pouco tempo em seu melhor nível”, considerou.