X

Soares vibra com o tri e se diz preparado para vencer um Slam

Domingo, 17 de fevereiro 2013 às 14:09:19 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Fabrizio Gallas - Bruno Soares, número 19 do mundo, comemorou o terceiro título consecutivo do Brasil Open neste domingo, primeiro ao lado do parceiro austríaco Alexander Peya ao superar s dupla do tcheco Frantisek Cermak e o eslovaco Michal Mertinak.

"Com certeza jogar aqui é sempre especial, a torcida brasileira não gosta de assistir e sim de torcer, passam uma energia muito boa, cria uma enerrgia muito bacana, essa quadra quando tá cheia é um caldeirao, dá um eco, atmosfera incrível", vibrou Bruninho que venceu em 2011 ao lado de Marcelo Melo, na Costa do Sauípe (BA), e em 2012 junto com o americano Eric Butorac, já em São Paulo.

Este é o sexto título seguido dele em torneios nível ATP 250 e 500 onde não perde desde antes do US Open - quarto caneco com Peya. Para Bruno, a conquista de duplas mistas no Grand Slam americano foi primordial: "Com certeza me sinto forte mentalmente, o grande diferencial da minha carreira foi o US Open, depois que a ficha caiu, a aitutde e serenidade dentro de quadra melhoraram muito. Nesses momentos de 3º set tem que fazer acontecer na hora importante", disse Bruninho pontuando sobre a partida final onde marcou 6/7 (7/5) 6/2 10/7: "Eu e Alex mostramos isso, salvamos bolas incriveis e no ponto seguinte passava a euforia e focavamos pro proximo ponto. Isso faz a diferença ainda mais na dupla quando tem no-ad, match-tiebreak, pontos com muita pressão".

Bruno e Peya chegaram a abrir 9 a 3 no match tie-break e só venceram a partida na quarta chance. No primeiro, Bruno levou uma bolada nas partes baixas e brincou : "Minha mulher vai esperar uns três anos para ter um filho, aquela bolada matou tudo que estava estocado (risos). Fiquei com uma dor de cabeça pois ele acertou em cheio, minha cabeça tava rodando e eu queria fechar logo o jogo, mas depois parei um pouco, respirei e conseguimos vencer".

Tanto Bruno quanto Peya salientaram que se sentem preparados para alcançar títulos mais altos no circuito: "Nesse nível de 250 e 500 pulamos uma escala e estamos chegando no próximo passo de sermos fortes nos Masters e Grand Slams. O mais importante de tudo é que evoluímos, estamos preparados para beliscar o grandão".