X

Bruno Soares é tricampeão do Brasil Open

Domingo, 17 de fevereiro 2013 às 13:04:42 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Ariane Ferreira - O mineiro Bruno Soares, 19 do ranking de duplas da ATP, sagrou-se tricampeão do Brasil Open com o terceiro parceiro diferente. Neste domingo, Bruninho e o austríaco Alexander Peya, 21º, contaram com a torcida para virar a final

Leia Mais:
Soares vibra com o TRI e se diz preparado para ganhar um Slam

Em 1h43 de partida Soares e Peya fizeram 6/7 (5) 6/2 e 10/7 contra a parceria do tcheco Frantisek Cermak e do eslovaco Michal Mertinak. Este foi o quarto título da parceria, o primeiro do ano. Os dois se juntaram no final de 2012 e faturou os canecos de Kuala Lumpur (Malásia), Tóquio (Japão) e Valência (Espanha).

Bruno acumula seu terceiro título no saibro paulistano, em 2011 ele sagrou-se campeão, ainda na Costa do Sauípe, ao lado do também brasileiro Marcelo Melo. Já em 2012 Bruno venceu em São Paulo ao lado do norte-americano Eric Butorac.

Na temporada, Bruninho havia vencido o ATP 250 de Auckland, na Nova Zelândia, ao lado do britânico Colin Fleming.

O Jogo
O primeiro set foi muito parelho, com as duas duplas jogando bem e a primeira chance de quebra foi para a dupla de Bruno, no sétimo game, mas a dupla não confirmou e o set se encaminhou para o tiebreak.

Em um tiebreak muito disputado, com várias mini-quebras para as duplas, até que em uma grande disputa de bolas, Cermak/Mertinak conquistaram o setpoint e confirmaram com smash de Cermak.

Na segunda etapa Soares/Peya iniciaram bem, chegaram a ter dois breakpoints no segundo game, mas não conseguiram confirmar. No sexto game, nova chance de quebra para a dupla do brasileiro, convertida para delírio da torcida local. A segunda quebra veio para a parceria do mineiro no oitavo game, após bela direita do brasileiro.

No super tie-break Bruno dominou a rede e aproveitou-se de firmeza nos voleios e no fundo para abrir 5 a 2 para delírio da torcida, intimada por Bruno para o jogo. Depois de marcarem 9 a 3, a parceria do brasileiro deu uma vacilada, permituu que os europeus encostassem, mas fecharam e vibraram.