X

Mónaco isenta estrutura: “Quadra e bola são iguais para os dois”

Quinta, 14 de fevereiro 2013 às 15:43:47 AMT

Link Curto:

Tênis Paulista
Por Ariane Ferreira - O argentino Juan Mónaco conversou com a imprensa em São Paulo, após ser eliminado em sua estreia na chave do Brasil Open pelo italiano Simone Bolelli. Mónaco afirmou que as dificuldades da quadra são para os dois tenistas e reconheceu o mal inicio de temporada.

O argentino não culpou as condições da quadra ou da bola por sua derrota: “Não gosto de arrumar desculpas. Toda a vez que eu entro na quadra é porque achei que estava capacitado para competir, bem a verdade é que não foi meu melhor dia. Hoje ele jogou muito bem e tem um serviço muito difícil de superar”.

Pico refez seus passos e acredita que a pausa em competições na próxima semana pode te ajudar: “Acho que na Copa Davis fiz um esforço importante. Não cheguei fisicamente muito bem, por sorte pude usar do meu trabalho para ajudar a equipe argentina, isso me conforta, pois fiquei muito feliz. Daí foram duas partidas, Viña Del Mar e aqui em São Paulo. Por sorte, semana que vem não jogo, então terei tempo para treinar bem, pensar um montão de coisas e voltar. Voltar ao poucos. Eu sei que com muito trabalho vou chegar ao grande nível de tênis para poder competir melhor e chegar bem em Acapulco e Miami”.

Juan disse pensará em melhorar fisicamente e também seu volume de tênis. O argentino ainda contou que planeja ficar muitas horas em quadra e conversar muito com sua equipe buscando melhorar seu rendimento. “Não foi um grande inicio de ano, está claro isso. Sou consciente e acredito muito que se você faz um trabalho duro os resultados podem chegar. Então, tenho que ser forte no trabalho e fazer muitos sacrifícios para me sentir bem e quando me sentir bem que seja jogando em uma quadra de tênis”, opinou. Mónaco não defende as quadras em São Paulo, mas não credita a elas sua derrota: “As bolas não são as melhores, não é a melhor quadra na qual joguei, mas a quadra e a bola são para os dois jogadores. A verdade é que ele soube se portar melhor. Foi difícil pra mim, há uma certa altura aqui e a bola vai mais rápida”.

Juan considera que apesar das dificuldades encontradas por ele, o tempo de adaptação às condições paulistanas foi suficiente. Foram três dias de treino desde a chegada do argentino, na última segunda-feira.