X

Feijão não teme Nadal e sonha com vitória

Quarta, 13 de fevereiro 2013 às 17:43:46 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Fabrizio Gallas - Depois de passar o quali, João Souza (Amil/Asics/Wilson), número 140 do mundo, largou com triunfo também na chave principal do Brasil Open nesta quarta-feira, principal e único nível ATP do país, que distribui US$ 455 mil em premiação.

Feijão, que treina no CT da Amil, no Rio de Janeiro (coordenado por Ricardo Acioly), tinha acabado de vencer o primeiro set sobre o experiente espanhol Ruben Ramirez Hidalgo, 91º colocado e tenista de 35 anos, por 7/6 (8/6), quando o rival torceu o tornozelo e não conseguiu prosseguir na partida: "Não é a melhor maneira de vencer um jogo, mas isso faz parte e desejo que ele melhore prontamente. O jogo estava parelho, eu estava vencendo por um set, mas foi uma pena que isso tenha acontecido".

Nesta quinta-feira à noite, ainda sem horário definido, o tenista que mora na capital carioca enfrentará o poderoso Rafael Nadal, atual número cinco do mundo e considerado o Rei do Saibro por seus sete títulos em Roland Garros e apenas 20 derrotas em 277 partidas na superfície. Nadal volta a jogar um torneio no Brasil após oito anos e fará seu primeiro jogo de simples no maior evento brasileiro.

"Qualquer tenista profissional treina duro para chegar nesses momentos. Tenho certeza que amanhã a torcida estará ao meu lado e quero aproveitar ao máximo essa energia para jogar o meu melhor tênis. Vou dar meu máximo e estar com a cabeça positiva, pensando na vitória", declarou o brasileiro.

"Pelo fato de ter visto ele jogar muitas vezes fica um pouco na minha cabeça a tática para enfrentá-lo, mas o Nadal não é um cara fácil de executar o que você quer. Mesmo assim vou conversar com o Pardal (Ricardo Acioly, seu treinador) sobre o jogo. Admiro muito o que o Nadal fez e faz na quadra e na carreira, mas agora somos adversários. Sei que ele é o favorito, mas espero me agarrar nas energias positivas da torcida e sei que tenho condições e vou entrar para ganhar".

Sobre a situação atual de Nadal, de vir sete meses sem jogar, com apenas um torneio na semana passada em Viña del Mar, Chile, com derrota para Horacio Zeballos na final e dores no joelho, Feijão aponta: "Com certeza influencia esses fatores, ele não está no 100% dele, mas as condições estão boas pra mim, com a altitude, a quadra um pouco mais rápida".