X

Zeballos comemora dias de fama, mas finca os pés no chão

Terça, 12 de fevereiro 2013 às 08:00:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Por Fabrizio Gallas - Horacio Zeballos estava mais sorridente e simpático do que costuma ser nesta segunda-feira em sua chegada à São Paulo. Ele atendeu aos fãs e ao Tênis News comentando sobre os efeitos de seu título sobre Rafael Nadal em Viña del Mar.

Zeballos marcou 2 sets a 1 com parciais de 6/7 (7/2) 7/6 (8/6) 6/4 sobre o Rei do Saibro na noite de domingo, se tornando apenas o terceiro tenista a bater o espanhol numa final na superfície lenta, feito só atingido por Novak Djokovic e Roger Federer - Nadal venceu 36 das 41 finais disputadas no piso lento.

"O que passou pela minha cabeça foram todas as alegrias que se transformaram em realidade, um dos maiores jogadores da história do tênis, só jogar contra ele já era um luxo pra mim, à medida que o jogo foi rolando, fui só desfrutando da partida e ganhá-lo foi uma façanha", disse Zeballos que na última noite conseguiu dormir apenas duas horas com a adrenalina da conquista. Ele comentou sobre os efeitos positivos após a conquista. Com o triunfo, seu primeiro ATP da carreira, ele saltou 30 posições no ranking, pulando ao 43º lugar. "Vai mudar um pouco meu calendário, os torneios que jogarei, mas além disso vou tentar que essa vitória não mude nada do que venho fazendo, seguir tranquilo, jogando meu tênis, que nada me atrapalhe em ficar pensando no ranking, nos pontos a fazer. Só pretendo mudar o calendário, mas o resto seguirá o mesmo".

Zeballos já vem sentindo outros efeitos fora de quadra como o reconhecimento. Durante a entrevista, fãs lhe paravam para fotos e brincavam com o argentino "olha, só não ganhe mais do meu Nadal hein!", dizia uma delas.

"Ninguém esperava por isso então sim, muda, pessoal passa a me conhecer tanto aqui no Brasil quanto no Chile, vem falar comigo, brincam sobre a vitória contra o Nadal. Foi uma linda mudança e até mesmo na Argentina passei a ser um pouco mais conhecido. Está sendo lindo".

O tenista de Mar del Plata destaca um pouco de cansaço para a disputa do Brasil Open onde estreia apenas na quarta-feira diante do chileno Paul Capdeville. Segundo ele, apesar dos vários jogos longos feitos, a parte mental e confiança será fundamental na semana. Ele foi o campeão, na primeira semana do ano, do Aberto de São Paulo nas quadras rápidas do Parque Villa-Lobos: "Eu gosto de jogar aqui, ganhei no início do ano no Aberto de SP, as condições são rápidas, me favorecem. Estou um pouco cansado pelos jogos duros que fiz, mas o que importa é a cabeça".