X

Alves dá trabalho, mas para em Isner e Brasil se complica

Sexta, 01 de fevereiro 2013 às 21:15:47 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Thiago Alves, número 141 do ranking e segundo do Brasil no confronto diante dos Estados Unidos, fez uma ótima partida, deu trabalho ao gigante John Isner, de 2,06m, 16º do ranking, mas foi derrotado na noite desta sexta-feira e o Brasil se complicou no Grupo Mundial.

Leia Mais:
Alves lamenta chances peridas, mas confia em virada
Bellucci não tem chances e perde 1º jogo
Brasileiro recrimina atuação
Siga o Tênis News no Twitter!

Foto: Marcelo Ruschel / POA Press

O brasileiro de São José do Rio Preto (SP) foi derrotado por 3 sets a 0 diante do tenista de 2,06m, com parciais de 6/3 7/6 (7/4) 6/3 após 2h04min de duração.

Com este resultado e a queda de Thomaz Bellucci para Sam Querrey por 6/3 6/4 6/4, o Brasil ficou abaixo por 2 a 0 no confronto no piso rápido de Jacksonville, na Flórida, e precisará ganhar os próximos três jogos para se classificar às quartas de final.

Esta é a primeira aparição do time nacional na elite do tênis após dez anos de ausência e Alves joga apenas seu segundo confronto, o primeiro foi em 2008 na repescagem diante da Croácia.

Neste sábado, Marcelo Melo e Bruno Soares tem uma dura missão contra os irmãos Bob e Mike Bryan, parceria número 1 do mundo, campeã do Australian Open e recordista com 13 Grand Slams.

O jogo

Alves entrou um pouco descontrado na partida e acabou sendo quebrado cedo, perdendo a primeira parcial por 6/3 vendo o rival marcar nove aces em parcial de 27 minutos.

No segundo set o brasileiro confirmou, saiu na frente e emparelhou praticamente todos os games de saque do gigante. O brasileiro conseguia incomodar o rival um pouco errático e obteve três set-points, dois no 5/4 e um no 6/5, mas Isner desferiu aces para se safar. No tie-break, Alves largou com mini-quebra, mas o adversário virou e fechou por 7/6 (7/4) após uma hora de duração.

Na terceira etapa o desanimo no brasileiro era evidente assim como na equipe nacional. Alves começou confirmando, mas levou winners de um Isner destemido que quebrou para fazer 5/2 e definir no saque por 6/3.

Foram 32 aces do americano que aplicou 72 winners contra 62 erros. O brasileiro fez 21 bolas vencedoras e errou 31.