X

Nadal acredita que possa vencer Djokovic

Segunda, 27 de fevereiro 2012 às 15:37:16 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
Em entrevista concedida para o canal espanhol TVE, o espanhol Rafael Nadal, número dois do mundo, afirmou que está cada vez mais perto de uma vitória contra o sérvio Novak Djokovic, rival que o derrotou nas últimas sete finais que se enfrentaram, sendo três dessas em Grand Slams.

Nadal ressaltou que o sérvio vive um momento mágico. “Nole é melhor jogador do que eu e do que os outros. Ele conseguiu provar no ano passado que é um tenista acima da média. Devemos parabenizá-lo pelo o que ele conseguiu fazer na temporada passada. Com certeza será muito difícil para qualquer tenista repetir o feito de Nole”, afirmou.

O espanhol lembrou a final do Aberto da Austrália desse ano, quando foi derrotado na final justamente por Djokovic. "Eu dei mais um passo para conseguir derrotá-lo. Levei o jogo para o meu limite extremo. Consegui jogar o meu melhor e por isso estou animado para o próximo confronto contra ele”, disse.

Na temporada de 2011 Djokovic enfrentou Rafael Nadal em seis oportunidades, com seis vitórias para o lado do sérvio, onde incluem o título dos Grand Slams do Aberto dos Estados Unidos e Wimbledon, além de quatros Masters 1000. Porém no Aberto da França do ano passado, o atual número um do mundo foi derrotado nas semifinas para o suíço Roger Federer, adiando assim o sonho de vencer todos os majors em uma única temporada.

Djokovic por sinal já afirmou que o objetivo para essa temporada é vencer no saibro francês. Por outro lado Rafael Nadal se mostra imbatível em Roland Garros, torneio em que chegou na final por sete vezes, levantando o caneco em seis oportunidades.

Por fim Rafael Nadal falou sobre o seu sentimento em disputar o Aberto da França. "Meu sentimento real é que sou muito querido na França, especialmente, quando ando pela rua. As pessoas me incentivam, me aplaudem e até pedem fotos. Mas também é verdade que quando eu vou para o torneio esse incentivo diminui bastante. O público de Roland Garros é o que menos me apoia”, finalizou.