X

Koch é homenageado na final do Masters em Angra (RJ)

Segunda, 15 de novembro 2010 às 17:26:00 AMT

Link Curto:

Tênis Profissional
A oitava temporada do Citigold Masters Tour terminou neste domingo no Club Med Rio das Pedras com uma emocionante homenagem para o grande mestre Thomaz Koch.

Principal estrela do circuito de nomes que fizeram a história do esporte no Brasil, desde a sua primeira edição, Koch viveu uma de suas melhores temporadas em 2010, decidindo três títulos e chegando perto de terminar o ano como o número um do ranking.

Pelo que representa pelo tênis brasileiro, tendo quebrado barreiras e conquistado títulos internacionais, vencido tenistas que ocupavam o primeiro lugar no ranking mundial e alcançando recordes que permanecem até hoje, a Try Sports preparou uma emocionante homenagem para Koch. Reuniu fotos marcantes de sua carreira, como a de Tricia Nixon, filha do então Presidente Nixon, entregando o prêmio a ele durante o ATP de Washington, quando ele derrotou Arthur Ashe na final, entre outras. Além das fotos, foram gravados depoimentos em vídeo não só dos tenistas que jogam o circuito com Koch, mas de Gustavo Kuerten, Fernando Meligeni e André Sá.

“O Thomaz é um cara que transmite, essa alegria de jogar tênis, de estar no esporte, mostra comoção, envolvimento e felicidade. Ele está sempre presente no tênis motivando e passando uma energia muito boa. E não é só quando eu era criança que ele me inspirava e motivava. Até hoje continua me inspirando. É e sempre será o nosso Mestre,” disse Guga.

Fernando Meligeni enfatizou que foi devido a Koch que todos esses tenistas tiveram oportunidades. “Ele é o cara mais importante para o tênis da nossa geração. Foi ele que abriu as portas.”

Oncins, que derrotou Koch na final da etapa de Campinas do Citigold Masters Tour, lembrou da primeira vez que viu Koch ao vivo, aos seis anos de idade. “Tirei uma foto com ele naquele dia que guardo até hoje.” Saliola, o campeão geral do Citigold Masters Tour 2010, falou da importância que Koch teve na sua carreira e vida, especialmente quando foi capitão do Brasil nos Jogos Pan-Americanos de Havana e o tenista foi medalhista de ouro. “Ele me ensinou muito, tenho um contato muito próximo com ele desde então e o Thomaz deve ser eterno.”

Aerts afirmou que o mais impressionante em Koch é a sua longevidade; João Soares, com lágrimas nos olhos ao gravar o depoimento, disse que se não fosse pelo ídolo, que o ajudou em momentos difíceis, não teria continuado no tênis.

Todos reverenciaram o Mestre do tênis brasileiro. O público ovacionou Koch de pé, durante alguns minutos até que o tenista conseguisse agradecer, emocionado, a homenagem. “Não esperava por isso. Acho que agora vou ter que começar a acreditar, depois de ver essas imagens e esses depoimentos. Foi superemocionante. Vim aqui para jogar tênis e acabei ganhando esse presente muito especial. Esse circuito é uma curtição e enquanto vocês me aturarem, estarei sempre por aí,” discursou Koch, ao receber das mãos de Danilo Marcelino e Nelson Aerts, da Try Sports, um troféu de cristal pela homenagem.